Menu Busca

Comportamento

Paranaense está pesquisando mais na hora de encher o carrinho

O atual período econômico do país tem mudado vários hábitos de consumo. Com a inflação, as altas tributárias e a diminuição do poder aquisitivo, é hora de repensar cada despesa – basta avaliar o seu carrinho de supermercado, que deve estar bem diferente do que em outros períodos

Os consumidores se tornaram mais cautelosos e a compra do mês agora passa por um detalhado processo de pesquisa. Em busca de economia, todo mundo está de olho nos menores preços. Uma análise realizada na capital paranaense pela Diferencial Pesquisas de Mercado aponta que no ano passado 39% dos curitibanos já estavam mais propensos a pesquisar o mercado e investir em ofertas e promoções na hora de abastecer a despensa de casa.

De olho na conta do supermercado, consumidor tem buscado promoções

Ainda assim, na época, 46% da população mantinha o hábito de fazer compras pequenas e frequentes enquanto apenas 25% realizava compras grandes, com reabastecimentos esporádicos, no intuito de economizar. Mas agora a situação é outra e o comportamento de consumo mudou para se adequar ao momento. “Em 402 entrevistas de rua realizadas entre 18 a 24 de maio deste ano, foi possível ouvir que 95% dos entrevistados entendem que estamos numa crise e 77% já fizeram alguma mudança no seu consumo para ajustar-se ao momento econômico”, afirma o sócio-proprietário da Diferencial Pesquisas de Mercado, Gustavo Bizelli.

 

Qual é o novo comportamento do consumidor?

Se antes as idas ao mercado eram recorrentes e, por vezes, acarretavam na compra de produtos supérfluos, agora este hábito passa por um controle mais rigoroso. Para economizar e evitar gastos desnecessários, o consumidor voltou a realizar a “compra mensal”- uma compra grande, composta pelo essencial e realizada no início de cada mês. Segundo o superintendente da Associação Paranaense de Supermercados (APRAS), Valmor Rovaris, houve uma redução de 10% nas idas aos supermercados do estado: “O movimento de pessoas diminuiu um pouco, agora as compras estão maiores e mais concentradas no início do mês”.

Porém, a mudança de hábitos do consumidor não comprometeu o faturamento destes estabelecimentos. Segundo Rovaris, o setor vai bem e fechou o primeiro semestre em alta. “O setor mantém seu crescimento e tem acompanhado a inflação. Para economizar, o consumidor repensa alguns de seus costumes e nisto beneficia as redes de supermercados. Um exemplo é a substituição do hábito de almoçar ou jantar fora. Agora as pessoas estão apostando em programas mais caseiros e econômicos, o que transfere para os supermercados gastos que antes eram destinados a outros estabelecimentos. Ou seja, o momento é positivo para este segmento, ainda que alguns produtos – como eletrodomésticos e têxteis – tenham sofrido quedas no faturamento”.

 

Mário Monteiro, gerente comercial de uma das franquias da rede de supermercados Canção, localizada em Londrina, confirma as modificações apontadas por Rosaris: “Sentimos uma queda no fluxo de pessoas, uma vez que o consumo tem se realizado numa única compra. Além disso, é perceptível que o consumidor está abrindo mão de produtos supérfluos e está mais atento a ofertas, pesquisando mais antes de realizar a compra. Outra mudança interessante é o aumento da procura por produtos com maior valor agregado, como, por exemplo, orgânicos e integrais – produtos que ofertam mais qualidade de vida”.

Segundo Monteiro, a rede de supermercados Canção não foi afetada pela crise econômica e mantém o faturamento positivo, com um crescimento de 8% em relação ao ano passado. No entanto, é necessário que os empresários do setor estejam atentos ao período e saibam manter a fidelidade de seus consumidores: “Para não perder espaço no mercado, o Canção investe no relacionamento com seu público, busca estabelecer e reforçar laços de amizade e primar pelo atendimento e pelo comprometimento operacional. Também investimos na qualidade de nossos produtos, principalmente os perecíveis como hortifruti e padaria. Isso nos traz um diferencial”.

A compra do mês voltou a ser hábito de consumo dos paranaenses. Mesmo diante de uma crise econômica, os supermercados paranaenses mantém um faturamento positivo.

Estratégias para manter o crescimento durante a crise

Além do investimento em qualidade, tanto dos produtos quanto do atendimento, os mercadistas também apostam em promoções para chamar a atenção do consumidor, além de investir na negociação com fornecedores para conseguir preços melhores.

Um exemplo disto é a Assurel, uma associação que reúne 74 supermercados paranaenses com o intuito de aumentar o poder de compra destes estabelecimentos. O gerente comercial da Assurel, Leonardo Matias, explica que, assim como os consumidores, os mercadistas estão pesquisando e apostando em promoções no momento de encher as gôndolas: “Os proprietários de pequenos estabelecimentos estão investindo em compras cooperativas, direto da indústria ao invés do atacado. Este é um período em que todos os setores estão mais receosos e cautelosos. As redes de supermercado buscam acompanhar o comportamento do consumidor e, por isso, estão migrando para fornecedores que ofertam produtos mais baratos e promocionais”.

 

Televisão: aposta certa para impactar público-alvo

Outra forma de manter a competitividade é fazer parte do cotidiano do consumidor através de anúncios televisivos. Para o diretor comercial da rede de supermercados Festval, Carlos Beal, independente do momento econômico, esta é uma ferramenta essencial.“A televisão é um suporte de expansão da marca e da sua imagem. Publicidade televisiva é uma forma rápida e eficiente de impactar o público-alvo. O retorno é seguro e imediato. Nós anunciamos há vinte anos na Globo e há doze na RPC. Isso mantém um convívio diário com o consumidor e promove a nossa marca, nossas ofertas e a qualidade de nossos serviços. É essencial manter esta publicidade e esta proximidade com nossos consumidores”, explica Beal.

Carlos Beal, diretor comercial do Festval, explica a importância de se investir em anúncios televisivos.

Desta forma, a oferta de produtos essenciais somada à entrega de qualidade e ao investimento em publicidade garantem o faturamento positivo dos supermercados. O setor já percebeu que o segredo para manter-se à frente do cenário atual é marcar presença no cotidiano do consumidor e está adaptando-se ao novo cenário. Esta mudança de hábitos impacta positivamente o setor e impulsiona seu crescimento mesmo em um período de inseguranças.

Artigos relacionados

0 respostas para “Paranaense está pesquisando mais na hora de encher o carrinho”

Deixe uma resposta