Menu Busca

Economia e Setores

Cestinha ou carrinho? Tanto faz! Supermercados têm bons resultados nos primeiros meses do ano

O setor supermercadista está otimista em meio à crise econômica do país. O motivo? Dados da Fecomércio apontam alta nos primeiros meses deste ano. Os números são tímidos, mas mostram que há oportunidades para alcançar bons resultados. E quais são elas? Conversamos com Rodrigo Rosalem, diretor de planejamento e gestão da Fecomércio. Ele explica os bons números e dá algumas dicas para o setor.

Não se fala em outra coisa: recessão. No meio de incertezas políticas e econômicas, há luz no fim do túnel para diversos setores da nossa economia – um deles é o supermercadista. Os dados comprovam: houve uma alta de 3% no acumulado de janeiro a maio deste ano, em comparação com o mesmo período do ano passado.

O índice é apontado pela Federação do Comércio do Estado do Paraná (Fecomércio-PR). E quem conta um pouco mais sobre o setor para nós é Rodrigo Rosalem, diretor de planejamento e gestão da entidade. Para começar, Rodrigo apresenta um bom cenário: junho pode ser positivo também.  “Somente em agosto teremos dados consistentes sobre junho, mas acredito que o cenário siga essa tendência. Principalmente nos setores de supermercado e farmácia. Também já existem índices otimistas em relação ao segundo semestre”, completa.

Bons números para os supermercados. O que isso significa?

Necessidade. Isso mesmo: alimentação, higiene, limpeza são as principais categorias de produtos dos supermercados. Considerados artigos essenciais, garantem ao setor supermercadista algumas vantagens: é um dos últimos setores a entrar em crise e um dos primeiros a sair dela. O índice de emprego, por exemplo, também mostra otimismo. Segundo a Fecomércio, os supermercados tiveram alta de 1,18% em novas contratações.

Tendências: novo perfil de consumo

A principal mudança que a crise econômica gerou no perfil de consumo nos supermercados, neste primeiro semestre, foi na escolha por produtos mais econômicos. As vendas de marcas mais sofisticadas e caras diminuíram significativamente, segundo a Fecomércio. O lado bom?  A migração dos consumidores para produtos mais baratos, de marcas menos conhecidas. Em busca de novas alternativas, surgem oportunidades para marcas com melhor relação custo benefício.

Consumidor está pesquisando mais e comprando marcas mais baratas
Consumidor está pesquisando mais e comprando marcas mais baratas

Outra tendência que se percebe – também por conta da chegada do inverno –  é o aumento do número de pessoas que escolhem comer em casa. Rodrigo Rosalem conta que com a renda mais apertada, frequentar restaurantes e bares toda semana é um luxo que fica em segundo plano. “Essa mudança vem se refletindo nas buscas por refeições mais baratas e dentro de casa. As marcas podem investir nisso, oferecendo alternativas ao consumidor que deseja economizar”, aponta o diretor de planejamento da Fecomércio.

Supermercadista: aprenda a sobreviver em tempos de crise

Rodrigo Rosalem: dados da Fecomércio PR trazem otimismo ao setor supermercadista
Rodrigo Rosalem: dados da Fecomércio PR trazem otimismo ao setor supermercadista

Se o consumo diminui em tempos de economia delicada, é importante lembrar que ele não deixa de existir.  Quem souber administrar seu negócio para reduzir custos e  gerir sua equipe para atrair os consumidores vai se destacar em meio aos concorrentes. O segredo principal é manter o interesse no seu negócio através de promoções, preços baixos e principalmente, atendimento de qualidade. Outra orientação relevante é aprender a diversificar o seu ramo de negócios, oferecer mais do que o cliente procura, aponta  Rosalem. “Um exemplo disso são as livrarias, que passaram a vender também chocolates e não apenas livros. Souberam adaptar seu negócio”, completa.

A boa notícia é que toda essa maré agitada pode passar. Tendências indicam um quadro de mudanças e melhorias para o próximo semestre de 2016 em todo o mercado de consumo e vendas. “O mercado tende a sair da crise, ainda que de forma lenta e gradual, mas já existem indícios de que isso vai acontecer nos próximos meses”, finaliza o diretor de Planejamento e Gestão da Fecomércio PR.  Hora de pensar a médio prazo para alavancar os negócios. Para isso, separamos alguns conteúdos publicados durante a Mercosuper 2016, que aconteceu em abril. Aproveite para relembrar e buscar alguns insights para seus negócios.

Mercosuper 2016: tecnologia, empreendedorismo e muitos negócios

Mercosuper 2016: endobranding e omni-channel

Mercosuper 2016: experiência de marca, promoções e personalidade no varejo

Mercosuper 2016: cenários e perspectivas por Carlos Kawall e José Pio Martins

Artigos relacionados

0 respostas para “Cestinha ou carrinho? Tanto faz! Supermercados têm bons resultados nos primeiros meses do ano”

Deixe uma resposta