Menu Busca

Conteúdo

Comunicação aproxima cooperativas de seus públicos

O investimento em comunicação tem sido uma forma de aproximar cooperativas de seus públicos. Confira as estratégias adotadas pelas maiores cooperativas do Paraná.

O investimento em comunicação tem sido uma forma de aproximar cooperativas de seus públicos. No último sábado (06), foi comemorado o Dia Internacional do Cooperativismo, sistema econômico que distribui o capital de maneira mais democrática entre os trabalhadores. De acordo com a Organização das Cooperativas do Paraná (Ocepar), o cooperativismo no estado apresentou, em 2018, crescimento em todos os indicadores socioeconômicos comparado com o ano anterior. O faturamento das cooperativas alcançou o montante de R$ 83,7 bilhões, um aumento de quase 20%. O número de associados cresceu 14,5%, passando para mais de 1,7 milhões de cooperados.

A Ocepar também apresenta a representatividade dos diferentes setores do cooperativismo. As cooperativas do ramo agropecuário correspondem a 84,3% do total,  e é líder no número de pessoas empregadas diretamente (81,4%). Em segundo lugar, estão as da área da saúde com 7,6%. E em terceiro as do setor de crédito, com 7,4%. Para garantir o crescimento sustentável das cooperativas, um dos desafios é a adoção de estratégias comerciais e de comunicação assertivas.

A Castrolanda, por exemplo, busca a inovação. De acordo com Marcio Copacheski, gerente de estratégia e inovação da Castrolanda, a cooperativa está reestruturando a área de marketing e comunicação. O objetivo é atingir seus diferentes públicos – cooperados, colaboradores, consumidores e fornecedores – de forma diferenciada. A transformação cultural é considerada a base desta nova comunicação. Com o slogan “Cooperar é transformar, a Castrolanda pretende revisitar o amplo conceito do cooperativismo praticado na instituição ao longo de sua história.

“É o empreendedorismo somado à inovação, com um olhar curioso e inquieto sobre toda a evolução tecnológica que afeta nossos negócios e seus entornos, chegando até nas propriedades de nossos cooperados, onde toda a produção base de nossos produtos acontece.” Marcio Copacheski

Atendimento e relacionamento

Para a cooperativa financeira Cresol, a comunicação está no atendimento dos colaboradores, passa pelos programas de relacionamento até as ações com a comunidade e soluções oferecidas por seus produtos e serviços. Com investimento direto mensal de R$ 1 milhão, a cooperativa valoriza a comunicação interna, externa, comercial e institucional e atua nos canais tradicionais e digitais.

“Somos uma instituição que gera desenvolvimento, oferece soluções e promove o crescimento das pessoas, dos empreendimentos e da comunidade. Por isso nossas estratégias se dão de forma indireta por meio dos veículos de comunicação e pelo relacionamento de excelência.” Luiz Ademar Panzer, diretor de comunicação e relacionamento da Cresol.

Já a Copacol investe para se comunicar de forma mais eficiente com seus cooperados, colaboradores e com a comunidade. A ideia é que todos conheçam seus negócios e cresçam em conjunto com a cooperativa. Isso vale para o trabalho no campo, nos empregos na cidade ou nas oportunidades do comércio regional. As estratégias incluem divulgações em eventos, veículos de comunicação da própria Copacol e de parceiros. Seu impacto no desenvolvimento regional é notável – mais de 10 mil colaboradores e seis mil associados fazem parte da instituição. Além das cerca de 32 mil crianças que participam de projetos educacionais, esportivos e ambientais promovidos pela cooperativa.

Leia mais em:

No Sudoeste, cooperativismo e associativismo promovem união de setores

No Sudoeste, cooperativismo e associativismo promovem união de setores

Artigos relacionados

0 respostas para “Comunicação aproxima cooperativas de seus públicos”

Deixe uma resposta