Menu Busca

Comportamento

Turismo no Paraná: como serão as férias de julho?

As férias de julho se aproximam e a dica é aproveitar o turismo do Paraná. Conheça!

Como anda o turismo no Paraná e no mundo? O Conselho Mundial de Viagens e Turismo (WTTC), em 2018, conta que o impacto do turismo gerou uma participação de US$ 8,8 trilhões no PIB mundial (10,4%). Isso significa uma alta de 3,9%, superior à expansão da economia global (3,2%). Além disso, o setor é responsável por 319 milhões de empregos.

No Brasil, a receita gerada pelo turismo internacional em março aumentou 4,24% na comparação com  2018. Os turistas estrangeiros deixaram no país US$ 567 milhões, US$ 23 milhões a mais do que em março do ano passado.

Diante desses números, como o turismo do Paraná está posicionado? Para Marcelo Valente, diretor da Loumar Turismo, maior operadora de Foz, e do hotel Bella Itália, timidamente. Ele conta que o modelo atual de divulgação existe há mais de 30 anos. “Em todo esse tempo tentam agradar a todas as regiões do estado, mesmo aquelas sem grande atratividade. Se fosse entendido que o grande ícone mundial é Foz do Iguaçu, todas as regiões pegariam uma carona nesse fluxo. Assim, teriam alguma chance de dividendo”, avalia Marcelo.

Estratégia Omnichannel

Com o grande desafio de seguir atraindo turistas e aumentar as receitas, empresários do setor ampliam o olhar e passam a atuar em diversos canais ao mesmo tempo. Chamada de Omnichannel, essa estratégia coloca físico e digital para conviver lado a lado. No turismo do Paraná, isso é aplicável principalmente nas agências de viagens.

Com a entrada na internet e, principalmente, nas redes sociais, cada vez mais elas fazem contato online com o cliente, adiantando seus produtos e ofertas. Depois, o cliente pode ir pessoalmente à agência e ter a experiência de contar com o consultor (o agente) para saber detalhes antes de fechar a compra. “Utilizo aqui um termo que é muito peculiar: Tecnologia Humanizada. Isso nos coloca sempre em condições de atingir os mais variados mercados na maneira em que eles querem se comunicar com a gente. Tem hora que é 100% digital, mas tem hora que as ações devem ser um a um. É aí que a humanização, e muitas vezes nos canais tradicionais, trazem as melhores conversões”, completa Valente.

Sugestões de férias

As férias de julho se aproximam e a dica é aproveitar o que o turismo do Paraná tem de melhor. Para a apresentadora do PLUG, Michelly Correa, o mais surpreendente é a aposta das pessoas no potencial de cada espaço. “As pessoas acreditam nas atrações da sua cidade. Essa simplicidade, o turismo rural, que não precisa de luxo e glamour, é o melhor do turismo do Paraná”, conta Michelly. Em tantos anos de programa, ela cita lugares que ficaram na memória e surpreendem pelas belezas naturais e características únicas.

 

Um exemplo é Porto Rico, lugar que tem atraído pessoas para diversas atividades, como o mergulho. Outra boa surpresa foi conhecer Jardim Olinda, onde as pessoas apresentaram as festas juninas da cidade. Campina do Simão foi outra grande surpresa. “Quem me atendeu foi o diretor do CTG da cidade, que vive lá há apenas quatro anos. Ele abriu as portas e nos levou a diversos lugares. E o programa surpreendeu”, conta Michelly, que também cita Rio Branco do Sul, Almirante Tamandaré, Barracão – que forma a tríplice fronteira Argentina, Paraná e Santa Catarina – e o Ninho do Corvo, em Prudentópolis.

Quando perguntada sobre as melhores dicas para as férias de julho, Michelly imediatamente aponta: “Isso é fácil. O Plug tem mais de 100 cidades visitadas. No site nós apontamos os serviços, telefones, dicas e orientações. Vale a disponibilidade de olhar com mais atenção o quintal de casa, ou seja, lugares próximos”, conta a apresentadora.

Expectativa

Com bons números nestes primeiros meses do ano, o mercado aguarda resultados crescentes.  O aumento do dólar frente ao real é um ponto positivo. “Ao contrário do que se imagina sobre o dólar alto atrapalhar as compras de importados no Paraguai, ele afasta o turista das viagens internacionais. Nesse momento as viagens dentro do Brasil são aquecidas. E Foz do Iguaçu e toda a região são preferências desses viajantes nacionais”, avalia Valente.

O Bella Italia, por exemplo, espera fechar o semestre com aumento  de 20% em relação ao mesmo período do ano passado. O principal impedimento para os bons resultados é o alto preço das passagens aéreas. Isso pode impactar o mês de julho, período mais movimentado em Foz do Iguaçu.

Quer mais dicas de férias de inverno? Acesse https://gshow.globo.com/RPC/Plug/noticia/os-melhores-destinos-do-litoral-no-inverno-com-o-plug.ghtml

Que tal uma solução customizada para a sua marca? Fale com a gente informações@rpc.com.br

Artigos relacionados

0 respostas para “Turismo no Paraná: como serão as férias de julho?”

Deixe uma resposta