Menu Busca

Comportamento

Turismo no Paraná busca reinvenções e torce por reaquecimento ainda em 2021

Veja como empresários do estado estão adaptando o segmento para uma retomada gradual neste ano

As perspectivas para o turismo mundial têm sido incertas desde o ano passado. Porém, o ano de 2021 deve ser do início de uma retomada do otimismo em todo o Paraná: há a expectativa de que, até setembro, cerca de 80% da população no estado já esteja vacinada com ao menos a primeira dose contra a Covid-19. Assim, profissionais do turismo no Paraná já têm se mobilizado para aproximar as suas atrações das famílias novamente.

 

Ponta Grossa criou pacote com parcerias entre diferentes segmentos

 

Em Ponta Grossa, uma “força-tarefa” – envolvendo guias turísticos, gestores de parques, hotéis e a imprensa – foi organizada para fomentar o turismo na cidade em tempos de pandemia.

Em entrevista ao De Olho No Mercado, o gestor da Soul Vila Velha (concessionária do Parque Vila Velha), Leandro Ribas, conta mais sobre o pacote PG Explorer.

“O grupo Soul Parques tem como premissa de negócio o desenvolvimento da economia regional de onde possui operações. Assim, focamos esforços em parcerias com empresas locais”, explica Ribas.

 

“O exemplo do pacote PG Explorer ilustra muito bem esse tema: foi viabilizada a parceria do Parque Vila Velha com o parque Buraco do Padre, os hotéis Planalto Select Premium Vila Velha e a HEDR Transportes. Um produto inédito na região” – Leandro Ribas, gestor da Soul Vila Velha.

 

 

O pacote PG Explorer dá direito a um final de semana completo na região: o turista faz check-in em um dos dois hotéis participantes em uma sexta-feira, podendo aproveitar o fim de tarde na cidade para compras e aproveitar as diversas opções gastronômicas que a cidade oferece.

No sábado, o transfer leva os visitantes para um dia no Parque Vila Velha, podendo almoçar no Restaurante Girassol Vila Velha, que fica dentro do parque, e volta aos hotéis. No domingo, último dia do pacote, os turistas visitam o Buraco do Padre, onde poderão também conhecer a Fenda da Freira e fazer o passeio de tirolesa. O dia termina às 14h, para os visitantes almoçarem e fazerem o check-out do hotel.

Novas atrações renovam o Parque Vila Velha e turismo de Ponta Grossa

 

Além do PG Explorer, o Parque Vila Velha também trouxe novidades nos últimos meses. Agora, os visitantes podem curtir um passeio com direito a arvorismo; tirolesa; voo em balão estacionário; e circuito de Cicloturismo. Esse trabalho é fruto do início do contrato de concessão da Soul Vila Velha, que começou em setembro de 2020 a operar o parque.

 

Voo em balão estacionário é uma das novas atrações do Parque Vila Velha.

 

“Inicialmente, focamos em proporcionar maior conforto aos nossos visitantes de forma harmônica com o Parque”, detalha Ribas. “Reformamos completamente o nosso Centro de Visitantes, criamos uma área de estar com a reformulação da praça em frente ao CV, instalamos câmeras e rede Wi-Fi. O Restaurante Girassol, popular na região, se tornou parceiro do parque para as operações gastronômicas”.

 

Buraco do Padre é uma das belezas naturais do Paraná.

 

O ano de 2020 foi de mudanças, sim, mas também de desafios. O fechamento por quase seis meses e a posterior reabertura com limitação da capacidade em 50% trouxeram dificuldades no fluxo de caixa da companhia e nas ações previstas para a divulgação desse ícone do turismo no Paraná. Agora, a expectativa é que o segundo semestre de 2021 seja de retomada gradual das atividades.

 

Guias de turismo buscaram especializações para atendimento diferenciado

 

A mudança na cidade foi sentida, principalmente, por profissionais responsáveis por apresentar os principais pontos aos turistas: os guias turísticos. Rita Martins, guia em Ponta Grossa, destaca que a mudança de perfil dos profissionais passou por buscar especialização em novas técnicas de atendimento para recepcionar tanto famílias quanto profissionais de negócios.

 

“Os guias de Turismo, profissionais com formação específica e regulamentação por Lei Federal, não atuavam com frequência no segmento do Turismo de negócios. Isso porque todo o setor turístico (trade), apesar de investir e direcionar o foco para este segmento, não incorporava o Guia de Turismo”, explica. “Hoje esse perfil já mudou, por conta das melhorias em infraestrutura nos atrativos turísticos da cidade, criando interesse em quem participa do Turismo de Negócios”.

 

Para Rita, o papel do guia neste novo momento de Ponta Grossa é fundamental: é a partir deles que o turista recebe tratamento especial, dedicado, personalizado e extremamente profissional. “Assim, o visitante se cativa e passa a ter interesse em voltar para conhecer outros atrativos”, justifica.

 

“Hoje, aulas especiais de história e geografia, focadas na cidade de Ponta Grossa, garantem maior credibilidade para o trabalho do guia”  – Rita Martins, guia de Turismo.

 

 

 

Setor hoteleiro diversificou atendimento com restaurante e espaço “home office”

 

Gerente geral do Planalto Select Hotel em Ponta Grossa, Daniel Wagner ressalta as múltiplas frentes em que o hotel passou a atuar no período desde o início da pandemia da Covid-19.

Com a redução do turismo de negócios no Paraná, o foco no atendimento mudou também: as famílias, público mais presente no atual momento, valoriza mais o conforto que a praticidade.

Assim, o enfoque em atendimento e diferenciais em lazer se tornaram o foco do Planalto Select. Parceiro na criação do PG Explorer, o hotel reforçou o seu trabalho no Lumen Café + Gastronomia, restaurante criado há dois anos e que complementou muito bem a experiência dos hóspedes, em um ambiente contemporâneo e cosmopolita aberto tanto ao público do hotel quanto ao externo.

 

Criado há dois anos, Lumen se tornou uma alternativa de rentabilidade para o Planalto Select Hotel durante a pandemia.

 

“Nós sempre acreditamos na promoção da cidade para atrair mais visitantes e, com isso, trazer mais hóspedes para nosso hotel. Por isso fomos fundadores do Ponta Grossa Campos Gerais Convention & Visitors Bureau, entidade privada que promove a região, e agora mais do que nunca focada em potencializar a visibilidade de nossos atrativos turísticos que estão prontos para bem receber os turistas”, argumenta Wagner.

Em meados de março do ano passado, ao perceber a redução do número de reservas de hospedagem e o cancelamento das aulas, o Planalto passou a oferecer um “home office” no Hotel, com toda a estrutura necessária. A ação foi um sucesso e funcionou bem para a geração de negócios dentro da estrutura.

 

“Nós sempre acreditamos na promoção da cidade para atrair mais visitantes e, com isso, trazer mais hóspedes para nosso hotel” – Daniel Wagner, gerente geral do Planalto Select Hotel.

 

 

 

RPC teve papel de compartilhar novos hábitos de consumo do público durante a pandemia

 

Para Rafael Zanim, gerente geral da RPC Ponta Grossa, o principal papel da emissora para o turismo no Paraná, nesse período, foi o de compartilhar aprendizado. A partir dos insights de pesquisas como a TGI Kantar Ibope Media, foi possível entender os hábitos, gostos e costumes da população que surgiram durante o “novo normal”, por assim dizer.

“Adotar uma postura proativa neste momento ajuda na construção de soluções seguras para o desenvolvimento do turismo da cidade e região de Ponta Grossa”, diz Zanim.

 

“O fato de estarmos em contato frequente com os líderes de cada segmento do setor do turismo nos possibilitou atuar de forma consultiva, levantando informações, necessidades e objetivos” – Rafael Zanim, gerente geral da RPC Ponta Grossa.

 

Zanim atribui aos empresários da cidade a resiliência – e proatividade – que mantiveram o setor de turismo ativo, mesmo em um momento que o distanciamento social apontava um período caótico para a geração de receitas no segmento.

 

“Nosso turismo era em grande parte voltado ao negócio e com a queda do faturamento do setor, esses empresários se uniram e o foco virou-se para o fortalecimento do setor e em novas alternativas”, enaltece Zanim.

 

Em Curitiba, respeito aos protocolos e planejamento após a 2ª onda de Covid

 

Agente de viagem e professora do curso de Turismo no Centro Europeu, Raquel Pazini relata desafios parecidos na capital paranaense. O respeito total aos protocolos de saúde e segurança, com abertura gradual mediante autorizações, deram o tom de 2020.

“As principais mudanças, atualmente, estão no controle de acesso e capacidade de visitação dos atrativos, e também o uso de tecnologia para redução do contato pessoal nos hotéis”, avalia. “No ano passado, logo que a curva de casos diminuiu, observamos um aumento da procura por viagens e, atualmente vivendo essa 2ª onda, estamos observando um novo grande impacto no Turismo no Paraná e em todo o Brasil”.

O contato maior com a natureza foi muito buscado, aponta Raquel, como uma forma de realizar passeios ao ar livre e sem aglomeração. Destinos como Morretes e o litoral paranaense se tornaram ainda mais procurados. A maioria optando por ir com os próprios carros, outra mudança de comportamento.

 

A turma de 2019 do curso de Turismo do Centro Europeu; aulas online mantiveram curso funcionando.

 

O Centro Europeu também se adaptou: o curso de Turismo, semestral, passou para aulas on-line  e, assim, foi possível atender com qualidade todos os alunos, com aulas na plataforma do Teams em tempo real. “O Centro Europeu é uma Microsoft School e por isso conseguiu rapidamente se adaptar”, conta.

 

“Acredito que mudanças positivas, como a compra antecipada de ingressos, vinculada a uma capacidade de entrada controlada, sejam mantidas para melhorar a experiência de visitação do turista no destino, principalmente pensando nos pilares da sustentabilidade” – Raquel Pazini, agente de viagem e professora do Centro Europeu.

 

Passeios de trem passaram a ter protocolo de medidas preventivas e distanciamento

 

Os tradicionais passeios de trem da Serra Verde Express, de Curitiba a Morretes, também sofreram alterações. Conforme conta Rodolfo Amaral, gerente de marketing da BWT Operadora, a solução foi prezar pela segurança: com rigorosos protocolos de medidas preventivas e distanciamento social, foi possível uma reabertura que trouxesse mais tranquilidade para os turistas.

 

Os passeios de trem de Curitiba a Morretes adotaram rigorosas medidas de distanciamento e segurança durante a pandemia.

 

 

“Além da capacidade bastante reduzida e do distanciamento entre passageiros dentro dos vagões, o uso de máscara e álcool em gel é indispensável e insistentemente lembrado pelos nossos guias durante a viagem” – Rodolfo Amaral, gerente de marketing da BWT Operadora.

“Vale dizer que tais protocolos estão de acordo com as recomendações do Ministério da Saúde; inclusive temos o selo ‘Turismo Seguro’, que é a certificação oficial do segmento no país”, reforça.

Amaral pondera, também, que a população também é parte essencial nessa cadeia preventiva: todos precisam fazer sua parte, respeitando os protocolos em lugares públicos e privados e garantindo mais segurança para si e para seus semelhantes.

 

“Como as decisões (sobre funcionamento) fatalmente são fruto da matemática de casos na cidade, precisamos estar prontos para suspendermos as viagens de trem, se assim for necessário. De qualquer modo, temos um plantão para atendimento e remarcações das passagens permanentemente disponível para o público”, destaca.

 

Em Foz do Iguaçu, “humanização” do atendimento dá o tom durante a pandemia

 

Diretor de marketing do Grupo Loumar Turismo – o maior grupo de empresas do setor em Foz do Iguaçu – Garon Piceli concilia a função com o cargo de sócio do Ticket Loko, startup de vendas de ingressos com descontos para atrativos turísticos da cidade. No período da pandemia, ele diz que a crise foi notória, porém também momento de oportunidades.

 

“O ano de 2020 fez avançar muitas tendências que estavam previstas para acontecer nas próximas décadas, principalmente a digitalização dos processos” – Garon Piceli, diretor do Grupo Loumar Turismo.

 

“A procura por ‘humanização’ também veio forte e quem soube unir os processos digitais com um atendimento atencioso ganhou vários pontos com o cliente”, complementa.

Um dos 10 destinos nacionais mais procurados do Brasil, Foz do Iguaçu é a única cidade na lista que fica no interior. Por isso, um desafio foi lidar com a malha aérea para a cidade.

“A malha foi praticamente desfeita por causa da pandemia”, lamenta Piceli. “Se nós precisamos de alguma parceria, essa parceria tem que acontecer de forma estratégica com o setor aéreo. O que até agora não aconteceu de forma eficiente”.

Além do cuidado redobrado com higiene, a experiência está mais importante do que nunca na cidade. As pessoas querem se sentir seguras e viver experiência ainda mais memoráveis do que antes, considera Piceli.

“Com a pandemia, o turista começou a pesquisar mais na internet e começou a se organizar antes de viajar para a cidade. Dessa forma, agimos rápido no Ticket Loko e colocamos no ar um e-commerce robusto e capaz de proporcionar uma experiência eficaz de venda”, conta.

 

Gerente de hotel em Maringá ressalta união e expectativa por retorno do turismo corporativo

 

Em Maringá, o setor hoteleiro optou por utilizar o tempo “ocioso” para realização de reformas e adaptações que ajudassem na retomada. É o que conta Willian Golfieri, gerente comercial do Hotel Metrópole Maringá.

“Além dessas ações, também realizamos ações internas em vendas locais, chamando o público de Maringá para se hospedar no Hotel. Este tipo de ação vem trazendo bons resultados neste momento difícil para o segmento, haja visto que passeios longos são praticamente inviáveis no momento”, detalha.

Tradicionalmente uma cidade mais corporativa, Maringá ainda carece do retorno do setor à ocupação dos hotéis. Golfieri acredita que isso só se dará com o avanço da vacinação ao longo de 2021. “Eventos que tínhamos com frequência na cidade deixaram de ser presenciais e passaram a ser online, diminuindo esta fatia do mercado”, lamenta.

“Sabemos que em 2021, infelizmente, esses grandes eventos presenciais ainda não irão ocorrer. Porém, precisamos estar unidos fortalecendo o segmento para o retorno das atividades assim que liberadas” – Willian Golfieri, gerente comercial do Hotel Metrópole Maringá.

 

A partir da mudança de mercado e do comportamento do consumidor maringaense, Golfieri conta que o hotel buscou parcerias com órgãos de turismo local, agências de viagens, parque aquático e empresas para tratar de ações conjuntas para reduzir os riscos e impactos gerados em toda a cadeia de turismo.

 

Quer ativar parcerias no seu segmento com a RPC? Converse com a gente! 

 

Leia mais:

 

Com milhões de telespectadores no Paraná, The Voice Kids volta à tela da RPC

Artigos relacionados

0 respostas para “Turismo no Paraná busca reinvenções e torce por reaquecimento ainda em 2021”

Deixe uma resposta