Menu Busca

Comportamento

Pesquisa da McKinsey aponta que consumidor brasileiro está mais exigente

Planejamento e realismo tornaram-se palavras-chave na hora de tomar uma decisão de compra. Preço, limpeza e propósito são critérios prioritários

O consumidor brasileiro está ficando mais exigente. Pelo menos é isso que indica a pesquisa Mudanças no Comportamento do Consumidor Brasileiro realizada pela McKinsey no início de 2021. Planejamento e realismo tornaram-se palavras-chave na hora de tomar uma decisão de compra e a preocupação com limpeza e segurança são, hoje, critérios prioritários para a escolha de uma loja.

O estudo aponta, ainda, que 85% dos brasileiros experimentaram novas marcas em busca de melhor valor, o que indica menor propensão à fidelidade com as marcas. Por outro lado, 52% dos consumidores afirmam que priorizaram fazer compras em lojas que eles conhecem o proprietário ou funcionários durante a pandemia. E também que estão atentos a como as empresas lidam com sustentabilidade e ações sociais.

“As pessoas estão buscando conexões afetivas e essa é uma oportunidade para as marcas explorarem um relacionamento mais próximo com os consumidores. Esse também é o momento para as empresas mostrarem o seu propósito e comunicarem claramente a relação custo-benefício dos seus produtos e serviços”, avalia Fernanda Hoefl, sócia da McKinsey.

Outro dado identificado pela pesquisa foi o aumento da presença digital, com 87% dos consumidores realizando compras online.“Esse ecossistema proporciona novas oportunidades de negócios para as empresas que souberem aproveitar. Mas não basta estar online, a experiência do usuário deve ser continuamente melhorada. Nesse cenário, as lojas físicas vão desempenhar um novo papel de experiência e conveniência”, avalia Pedro Fernandes, sócio associado da McKinsey.

Retomada

A maioria dos brasileiros espera uma longa retomada do crescimento, sendo que 46% consideram que a economia será impactada por 6 a 12 meses. A falta de otimismo tem justificativa: os efeitos da pandemia foram sentidos no bolso e 60% teve a renda reduzida, o que acarretou em uma diminuição na intenção de compra de diversos setores.

No entanto, o pessimismo demonstrado pelos entrevistados nem sempre reflete o comportamento de consumo. As bebidas alcoólicas, por exemplo, tinham previsão de diminuição em 36% da intenção de compra, mas o que se observou foi um aumento histórico no consumo.

De acordo com o IBGE, os setores de móveis e eletrodomésticos e de materiais de construção foram impulsionados pela tendência de ficar em casa. Artigos farmacêuticos e médicos e os supermercados também tiveram crescimento em 2020. Já os livros, revistas, papelaria, tecidos vestuários e calçados foram os mais prejudicados.

Consumidor em casa

A casa vem desempenhando um papel central nesse momento em que muitas pessoas estão trabalhando e estudando remotamente. Houve um aumento significativo de atividades “do it yourself” ou faça você mesmo, bem como do hábito de cozinhar para a família.

Os cuidados com a saúde e o bem-estar agora são prioritários e a valorização do conforto alcançou um outro patamar com as diferentes necessidades de vestuário.

Após a pandemia novos hábitos podem ganhar espaço. “Nos Estados Unidos, onde a pesquisa também é realizada e a pandemia está arrefecida, houve um boom nas vendas de sapatos de salto alto e vestidos de festa”, comenta Fernanda.

McKinsey

A McKinsey & Company é uma empresa de consultoria empresarial americana, reconhecida como a líder mundial no mercado de consultoria empresarial. A pesquisa Mudanças no Comportamento do Consumidor Brasileiro foi realizada pela McKinsey no início de 2021 e apresentada hoje em webinar realizado pela RPC.

Artigos relacionados

0 respostas para “Pesquisa da McKinsey aponta que consumidor brasileiro está mais exigente”

Deixe uma resposta