Menu Busca

Comportamento

Salão de beleza: o que está fazendo a cabeça dos clientes em 2021?

Enquanto clientes adotaram novos estilos, profissionais de salões de beleza do Paraná se adaptam às demandas atuais

Muita coisa mudou na cabeça dos consumidores em 2021. Uma delas foi o estilo do cabelo. O visual mais natural, sem tintura ou procedimentos para mudar a textura dos fios ganhou muitos adeptos, para citar uma das tendências.

Se essa moda veio para ficar, ainda não está claro, mas uma coisa é certa:  os salões de beleza paranaenses estão otimistas com o que vem pela frente.  Após meses desafiadores, que fizeram com que muitos estabelecimentos permanecessem fechados por um período indefinido, os cabeleireiros estão animados com a nova fase.

Algumas tendências e novidades foram antecipadas no setor. É o caso de negócios, por exemplo, que levam o cabeleireiro até a residência das pessoas, algo que estabeleceu uma relação de segurança e intimidade em meio à quarentena durante os períodos mais difíceis da pandemia da Covid-19. Em um mundo globalizado, também, observa-se uma simultaneidade de tendências e cortes da moda, de acordo com a personalidade das pessoas.

 

 

A Beauty Fair, empresa que atua no desenvolvimento do varejo, indústria e salões de beleza do Brasil, realizou uma pesquisa online, em agosto de 2020, com sua base de visitantes cabeleireiros. Entre as constatações, notou-se que 84% dos cabeleireiros solicitaram o auxílio emergencial, mas que apenas 39% tiveram acesso ao benefício de R$ 600. Ainda, 11% responderam que os salões onde trabalhavam fecharam em definitivo no começo da pandemia.

 

App se tornou fonte de renda para profissionais durante 2020 e 2021

 

Fundadora e CEO do bnyou, aplicativo dedicado a reservar horários com cabeleireiros e outros profissionais que atendem a domicílio, Gabriella Garcia conta que o grande desafio no período foi criar e exigir um protocolo de segurança contra a Covid-19, a fim de minimizar os riscos de contágio e conseguir manter o trabalho de profissionais que utilizam o app como fonte de renda.

 

cabeleireiro

 

“No pacto de segurança que estabelecemos, estão ações como uso de máscaras, luvas, álcool em gel, higienização das superfícies e materiais utilizados e o mínimo contato físico possível, por exemplo”, conta Gabriella. “Mas, com muita alegria, afirmamos: isso se mostrou eficiente, pois não foram registrados casos de contaminação no bnyou durante o período”.

Como as pessoas estavam acostumadas a frequentar salões de belezas e clínicas de estética, antes da pandemia não buscavam alternativas mais confortáveis e convenientes para os seus momentos de autocuidado. Gabriella conta que isso mudou muito: agora, as pessoas sabem que é possível receber profissionais qualificados em casa para qualquer serviço de beleza e bem-estar, com tanta qualidade quanto em um salão.

 

cabeleireiro“Em nossa visão, esse comportamento é consequência da busca pelo natural, que nada mais é do que o ‘olhar para dentro’: se amar e se cuidar. Além da mudança no comportamento dos clientes, nota-se uma grande repercussão entre os profissionais de beleza, que chegaram até a triplicar sua renda por meio do nosso app”.

 

 

 

Na Shekinah Galeria, clientes passaram a questionar o sentido de beleza e se empoderaram

 

Proprietária da Shekinah Galeria, salão em Paranavaí, Stella Zonta notou uma mudança de comportamento interessante nas clientes: uma valorização do natural, durante o período de introspecção em casa.

“As mulheres passaram a questionar o sentido de beleza e, por isso, começaram a se sentir mais empoderadas em suas próprias essências: a permissão dos cachos, fios brancos e cabelos naturais, por exemplo”, avalia Stella.

Para Elis Lima, especialista em cachos da Shekinah Galeria, destaca que o segmento está passando por alguns processos: desde o crescimento dos fios cacheados, que na percepção das pessoas demora a crescer, até a finalização.

 

“Finalizar um cabelo cacheado requer habilidades e prática. Depois disso, é só aproveitar os cachos que podem vir com ou sem volume. Aliás, este é um outro problema: a cacheada tem que se acostumar com o volume. Coisa que antes, com os alisamentos, não era necessário. Fazemos muito alisamentos de pessoas que não aguentaram o processo de transição e voltaram para o alisamento”.

 

 

Stella comenta que 2020 e 2021 foram momentos muito difíceis. A segmentação de mercado – com especialistas em áreas específicas, como Elis – foram alternativas que ela optou no Shekinah.

 

 

“Foi um período de sobrevivência. Milhares de salões pelo país fecharam as portas e reduziram equipes. Era um momento de se reinventar, de estar mais presente nas redes sociais e apostar no bom atendimento. A volta dos eventos sociais devolve ao segmento e expectativa de que as coisas vão voltar a uma certa normalidade. Historicamente falando, após períodos de grande crise há sempre um período de grande euforia, criatividade e glamourização. Por isso, há uma grande expectativa no setor”.

 

 

Beleza.com, em Guarapuava, recuperou perdas em 2021

 

 

Ivan Santos, proprietário do salão Beleza.com, em Guarapuava, conta que 2021 tem sido um ótimo ano para os negócios, na contramão do que foi o anterior. Diante da realidade dos últimos meses, ele avalia o “copo meio cheio” e espera que, com a flexibilização das medidas e a evolução da vacinação, um período de bonança ocorra.

 

“Vivemos em tempos modernos, onde tudo pode e tudo é possível. No meu ponto de vista o que faz a cabeça das mulheres no momento é personalidade e estilo próprio, sem rótulos e tendências”.

 

Com as restrições pandêmicas, Ivan analisa que o cuidado com os cabelos e a aparência se tornaram prioridade neste período de retomado. Isso aumentou expressivamente o fluxo de clientes e, com a retomada de eventos, a tendência é de só melhorar.

 

 

Em Maringá, Salão Paparazzi aposta em atendimento próximo com os clientes

 

Pedro Gomes e Flávio Junior,  dupla proprietária do Salão Paparazzi Internacional Salon, em Maringá, são unidos até no nome artístico que adotaram: são conhecidos como os Paparazzi’s. Participantes de workshops mundo afora – como no Congresso Salvatore, na Rússia – estão sempre de olho nas principais tendências para trazer às clientes.

“Atualmente, o que faz a cabeça das mulheres é o conhecimento do negócio e a atenção que cada profissional pode oferecer ao seu público”, avaliam. “As mulheres estão muito decididas sobre o que querem e mais criteriosas. Com certeza um grande diferencial nos salões têm sido os cuidados com o cliente: fazer com que o cliente sinta se muito à vontade e protegido, durante o atendimento”.

A dupla diz que o principal desafio neste período pandêmico foi, sem dúvida, a aumento de preços nos produtos importados, por conta da alta do dólar. Isso, somado às medidas de restrição, trouxe diversas mudanças para os salões.

 

“O ano de 2021 sem dúvidas foi o ano de muitos altos e baixos. Tivemos mudanças sem aviso prévio, como lockdowns. Mas não podemos reclamar muito: o nosso setor foi bastante procurado e, no momento, a retomada de eventos, casamentos e outras atividades aqueceu muito o mercado. Agora, é hora de ter foco e recuperar o tempo perdido”.

 

>> Inovação: empresário de Ponta Grossa investe na capacitação de empreendedores

>> Diversidade, conforto e inclusão: confira as tendências para o verão

O seu público mudou o comportamento durante a pandemia? Compartilhe conosco as tendências do seu negócio!

Artigos relacionados

1 respostas para “Salão de beleza: o que está fazendo a cabeça dos clientes em 2021?”

  1. Larisse Damian De Abreu says:

    Olá, NegocioSrpc Agora não precisa mais quebrar cabeça criando artes para suas redes sociais.
    Veja estes paks incríveis para seu salão, são mais de 150 POSTS editáveis prontos para usar

    Acesse agora o link:

    https://bit.ly/3cO2FIVArteSalaopag

Deixe uma resposta