Menu Busca

Economia e Setores

Páscoa 2021: varejistas e comerciantes projetam aquecimento nos negócios

Expectativa é que a data represente um aumento nas vendas de, pelo menos, 10% em relação a 2020

Ovo de bala de banana de Antonina é um dos lançamentos da Oz Home Chocolates para a Páscoa 2021. Foto: Divulgação

Se a Páscoa do ano passado foi um desafio para varejistas e comerciantes, para a Páscoa 2021 o cenário se mostra um pouco mais otimista. Já operando dentro da realidade do “novo normal”, as marcas e empresas apostam em lançamentos, promoções, diversificação dos canais de vendas e investimento em divulgação para fazer com que os negócios fechados em função da data – uma das mais importantes para o comércio –representem uma volta ao patamar de antes da pandemia.

O chocolate é , sim, o produto mais visado pelos consumidores. Mas a data traz um impacto positivo para diversos setores – da indústria ao comércio. Segmentos como o de embalagens, logística, supermercadistas e lojas que vendem ingredientes para o almoço de Páscoa também veem seu movimento aumentar.  O reflexo é visto, inclusive, na geração de empregos. Segundo a Abicab (Associação Brasileira da Indústria de Chocolates, Amendoim e Balas), a previsão é de que 12 mil vagas sejam abertas, direta e indiretamente, em função da Páscoa.

Em 2021, o setor começou a se preparar para a Páscoa antecipadamente, como estratégia para aquecer ainda mais as vendas. Saiba como algumas empresas estão se preparando para garantir que o feriado represente bons resultados em caixa:

 

 

Casa da Azeitona, em Ponta Grossa

O bacalhau, preparo tradicional do almoço de Páscoa, é o produto que puxa as vendas de Páscoa na Casa da Azeitona de Ponta Grossa.

Na Casa da Azeitona, em Ponta Grossa, a grande expectativa é a venda do preparo clássico do almoço de Páscoa: o bacalhau, em especial o Bacalhau Gadus Morhua, o autêntico norueguês. “Temos o bacalhau em cortes e valores diferenciados, além de condimentos e outros ingredientes que são usados no preparo, como azeites e azeitonas”, conta Vinicius Albuquerque, sócio-proprietário da Casa da Azeitona.

Além do peixe, a casa também oferece outros produtos tradicionais de Páscoa. Os drageados de castanha, frutas secas e amendoins recebem cobertura de chocolate de diversos sabores, e são opções para presentear ou mesmo como sobremesa do almoço em família.

Para garantir os bons resultados da data, Vinicius conta que investiu em anúncios na televisão. “Temos um VT em circulação na programação da RPC. Nosso objetivo é divulgar a loja, que foi aberta no final do ano passado.”

 

 

O local já está nos preparativos para a data, mas Vinícius ressalta que o maior movimento acontece nos dias que antecedem a Páscoa. Em relação à forma de venda, ele aposta no movimento presencial. “Mas estamos preparados também para vendas por Instagram e WhatsApp”, conta.

 

Chocolate Lugano, em Guarapuava

Ovos de chocolate, em especial os trufados e recheados, são os itens mais procurados na Páscoa na Chocolate Lugano em Guarapuava. Foto: Divulgação

Kelen Cristina Pires Borges, que é proprietária da Chocolate Lugano Guarapuava, espera um aumento de, pelo menos, 20%  em relação a 2020. Na loja, os ovos de Páscoa são os campeões de vendas, em especial os trufados. Mas também é possível encontrar itens como barras, coelhos, placas e pirulitos de chocolates, além de diversos sabores de trufas e bombons.

Ela conta que as vendas em função da data acontecem, em sua maior parte, pela loja física, mas que também é possível fazer a compra de forma on-line e com entrega pelo delivery.

Embora o volume de vendas seja maior na semana que antecede a Páscoa, o movimento costuma ficar aquecido já algumas semanas antes. “As pessoas fazem pesquisas e conhecem quais os produtos temos para a data.”

 

 

 

 

Para aumentar as vendas em 2021, a Lugano de Guarapuava está investindo em ações nas redes sociais e anúncios de TV. “Nosso foco na divulgação são os produtos de Páscoa. Imaginamos que mesmo diante desse cenário da pandemia, as pessoas irão presentear seus familiares e amigos. Afinal, Páscoa é onde as esperanças se renovam, é tempo de alegria.”

 

 

Chocolates Roma, de Toledo

A aposta do Roma Chocalates é do aumento da venda nas lojas físicas. Foto: Divulgação

Marcos Vinicius Gowda, diretor comercial do Chocolates Roma, de Toledo, observa que o setor já foi às compras e está preparado para a Páscoa 2021. “Entendermos que, como as famílias tiveram em 2020 uma Páscoa em isolamento, esse ano irão comemorar a data presenteando parentes e amigos.”

Marcos Vinicius reforça que as indústrias e o mercado de uma forma geral estão trabalhando com cautela para a Páscoa 2021. “Aqui no Roma não seria diferente. Com um olhar otimista, esperamos crescer de 10% a 15% em vendas em relação a 2020.”

A expectativa é de que os consumidores façam suas compras nas lojas físicas. Por isso, a marca ampliou sua atuação nos grandes supermercadistas e atacadistas, sem deixar de lado a presença em pequenas empresas do ramo alimentício. Para garantir o bom resultado, o Roma também está investindo na divulgação de seus chocolates. “Nossos investimentos em publicidade ocorrem em duas ondas, a primeira nas mídias sociais, de forma antecipada e, na reta final, nas mídias online e offline.”

Choco Oz, de Maringá

Loja em Maringá foi inaugurada em dezembro. Foto: Divulgação

 

 

 

Essa será a primeira Páscoa da Oz Home Chocolates de Maringá, franquia especializada em chocolates. Ana Claudia Aldigueiri Pereira e Wesley Pereira Junior, proprietários da loja, estão bastante animados e otimistas.

“Nossa loja é nova, foi inaugurada em dezembro do ano passado, então essa será a nossa primeira Páscoa, mas vamos vir para marcar história. Os produtos são lindos, deliciosos e com um preço imbatível”, contam.  A aposta da marca é uma linha com chocolates que trazem experiência, envolvendo toda a família nesse momento.

 

 

 

Em razão da pandemia, a loja está preparada para uma venda multicanal. “Estamos com uma estrutura montada para as vendas online, via aplicativo, whatsapp etc.”

 

 

 

 

 

 

 

The Cakery, Curitiba

Ovo de chocolate recheado com bolo de cenoura e brigadeiro é uma das apostas da The Cakery para a Páscoa 2021. Foto: Divulgação

Cassiana Kalache Sebben, sócia-proprietária da The Cakery, em Curitiba, conta que ano passado a Páscoa foi um período de incertezas. Por isso, para esse ano, ela está mais cautelosa e preparou um cardápio mais enxuto. Mesmo com menos opções, o que não faltam no menu de Páscoa são produtos que se destacam por sua beleza e sabor.

“A expectativa de vendas está no mesmo patamar do ano anterior. Nossa maior aposta são os ovos recheados, como o de bombom de morango e o de bolo de cenoura com chocolate. Também estamos trabalhando com algumas opções de lembrancinhas e duas opções de bolos recheados”, conta. Os pedidos são feitos sob encomenda pela Instagram ou whatsapp e podem ser retirados na loja física.

 

 

 

 

 

 

Shopping China, Paraguai

Brasileiros são 90% dos clientes do Shopping China, no Paraguai. Laryssa Bombassaro, que é coordenadora de marketing do shopping, conta que 2021 deve marcar a retomada das vendas para a data. No ano passado, o local ficou sem estoque de vendas, já que as fronteiras foram fechadas antes da Páscoa. Por lá, as vendas também costumam ficar mais aquecidas “em cima da hora”.

 

“Com certeza, os produtos mais procurados são os chocolates em geral e os ovos de Páscoa. Trabalhamos com diversas marcas importadas e nacionais e isso atrai os compradores brasileiros”, diz.

 

 

 

 

Quer ver sua marca na RPC? Conheça nossos planos de mídia!

 

Leia também:

>>> Páscoa 2021: momento de inovação e regaste de tradições

>>> Baixe o ebook com os 10 insights da NRF 2021 para o varejo!

>>> Shop RPC: conheça a nova solução para o varejo!

 

Artigos relacionados

0 respostas para “Páscoa 2021: varejistas e comerciantes projetam aquecimento nos negócios”

Deixe uma resposta