Menu Busca

Comportamento

Economia circular: transforme resíduos em matérias primas

Entenda como esse conceito está sendo aplicado na prática por empresas como Posigraf e Mili.

Economia circular. Você já ouviu falar sobre isso?  Esse conceito propõe a substituição do ciclo com início, meio e fim, promovendo o reaproveitamento do que restou para inseri-los novamente na sociedade.  “A economia circular nasce da premissa que não tem como mais a população mundial extrair todos os recursos para transformá-los, consumir e descartar o resíduo. Esse ciclo se tornou insustentável”, afirma José Pio Martins, economista e reitor da Universidade Positivo.

Extrair, fabricar, usar e jogar fora. Esse tem sido o ciclo da produção e do consumo. Recursos naturais como a água, minérios e árvores, são extraídos e usados na fabricação de produtos, que acabam no lixo após perder a utilidade. Com isso, os resíduos acabam indo parar em aterros, lixões, ou na própria natureza.

Nesse contexto surgiu a Kapersul Waste Management (KWM), empresa paranaense que atua há 40 anos com o conceito de aterro zero. Seu objetivo é engajar empresas a serem responsáveis com seus resíduos. Além da matriz no Paraná, a KWM possui sedes distribuídas em seis estados e 750 clientes em todo o Brasil. E a empresa tem se destacado ao propor novas soluções e tecnologias.

economia circular

“Nossa missão é reciclar e destinar, sempre orientada ao ‘aterro zero’. Também trabalhamos para qualificar os clientes para o atendimento à P.N.R.S. (Política Nacional de Resíduos Sólidos), buscando redução de custos e minimizando impactos ambientais. A economia circular faz parte das soluções ofertadas aos clientes, já que o grupo possui empresas que transformam os resíduos em matérias primas e novos produtos que podem ser novamente utilizados pelas empresas”, explica Marcus Machado, diretor da KWM.

Machado explica que as empresas precisam se conscientizar que resíduos também são recursos financeiros que podem ser novamente utilizados pelas indústrias. “Além de poupar recursos naturais, há a oportunidade de redução de custos e marketing. Neste caso, para comunicar as iniciativas de sustentabilidade à todos os stakeholders de cada negócio, já que os resíduos são transformados em novos produtos”, afirma.

economia circular

Economia circular em empresas

Uma parceria firmada recentemente envolvendo a Posigraf, a Mili e a KWM possibilitou um processo de economia circular completo. Ele envolve em uma ponta, livros, materiais didáticos, encartes e outros impressos descartados ou destinados pela gráfica. Tudo é triado, separado e processado dentro de uma das unidades da KWM. Depois, é transformado na linha ecológica de papel toalha da Mili Eco.  “Projetos como esses geram benefícios em cadeia. Suprem a necessidade da indústria de adquirir matérias de boa qualidade para reciclagem. Também diminuem os impactos ambientais nos aterros. E, principalmente, colaboram para o desenvolvimento de uma cultura de reaproveitamento dos materiais.” Marcos Yanaka, gestor de marketing da Mili.

Andréa Luiza da Silva Santos Arantes, coordenadora do sistema de gestão da Posigraf, conta que a parceira com a KWM tem mais de 15 anos. A cada ano, a gráfica aumenta o índice de reciclagem de resíduos. E busca novas alternativas de destinação mais eficazes e com menor impacto ambiental.

”A Posigraf tem como filosofia de trabalho a busca constante pela melhoria contínua e redução do impacto ambiental das nossas atividades. Desta forma, estamos sempre atentos a novas iniciativas e oportunidades. Acreditamos que a gestão correta dos resíduos gerados em nossas atividades é fundamental na sustentação do sistema de gestão ambiental. E acreditamos que reciclar é poupar o meio ambiente”, afirma Andréa.

Em 2019, a Posigraf adquiriu mais de 50 lixeiras confeccionadas com plástico oriundo dos resíduos gerados no processo produtivo da empresa. Atualmente a empresa estuda outras possibilidades de parceria que incluem produtos como papel toalha, papel higiênico e dispensers de plástico. “Com isso, esperamos apoiar ativamente iniciativas de economia circular. E gerar resultados que extrapolam os limites da empresa, pois refletem na sociedade”, conclui Andréa.

Como funciona

O resíduo recebido e triado pelas unidades KWM espalhadas por todo Brasil chega todos os dias na planta de reciclagem de plástico, onde o material é moído, lavado e industrializado para que seja novamente utilizados pela indústria na confecção de produtos plásticos.

Já os materiais não recicláveis são enviados para a planta de coprocessamento,onde são triturados e blendados transformando-se em combustível alternativo ao coque, um derivado de petróleo, utilizado nos fornos de produção de cimento. Confira os números da KWM em no ano de 2019:

economia circular

 

 

Artigos relacionados

1 respostas para “Economia circular: transforme resíduos em matérias primas”

  1. Pedro Raimundo antunes de Avila says:

    quanto custa uma unidade para separar uma tonelda de plastico +uma tonelada de papel+ residuos metalicos tipo aluminio.

Deixe uma resposta