Menu Busca

Economia e Setores

Coamo chega aos 50 anos como a maior cooperativa do Paraná

É tempo de repensar sobre a importância do trabalho em equipe: inspire-se com a história de força e união da Coamo, que só em 2019 bateu R$ 13,3 bilhões em faturamento

Hoje não podemos abraçar todos os cooperados da Coamo Agroindustrial Cooperativa, mas reconhecer o seu incrível trabalho em equipe. Em tempos de pandemia do novo coronavírus, é hora de refletir sobre o poder da força e união para alavancar resultados.

Ao olhar para o cooperativismo paranaense é fácil encontrar um case inspirador. A Coamo é um exemplo do que acontece quando as pessoas se unem em torno de uma causa própria: resultado e muitos anos de sucesso. E é sobre isso que vamos tratar neste post.

Um case paranaense para o cooperativismo mundial

Com mais de 29 mil agricultores associados e faturamento de R$ 13,3 bilhões em 2019, a Coamo é um case paranaense no cooperativismo mundial. Não é à toa que conquistou o posto de maior empresa do Paraná em vendas e de maior cooperativa do agronegócio da América Latina.

Nascida em Campo Mourão (PR), em 1970, a Coamo Agroindustrial Cooperativa tem uma história marcada pela inovação de seus processos produtivos e transparência junto aos agricultores associados. Uma trajetória vitoriosa que chega a seu jubileu de ouro em 2020.

Em 2020, Coamo comemora jubileu de ouro com novo slogan: A vida é a gente que transforma. Crédito: Coamo.
Em 2020, Coamo comemora jubileu de ouro com novo slogan: A vida é a gente que transforma. Crédito: Coamo.

Com importante contribuição para o desenvolvimento econômico do Paraná, se fortaleceu com o empenho de suas lideranças e o engajamento com cooperados. Mas ao contrário do que se imagina ao olhar para os resultados conquistados, em um cenário pouco favorável.

O solo da região de Campo Mourão era impróprio para cultivo, por conta da acidez de suas terras, e o maquinário se limitava a apenas cinco tratores. Pelos campos, os plantios ainda eram tímidos e existiam somente algumas lavouras manuais de algodão, arroz e milho.

No entanto, até a década de 60, os agricultores ainda não imaginavam o que viria pela frente. Parecia impossível prever o quanto a região viria a se desenvolver e na contribuição significativa que a Coamo traria para a economia do Brasil.

Como surgiu a Coamo?

Enviado pela extinta Acarpa (hoje Emater) para impulsionar a realidade rural da região, o engenheiro agrônomo José Aroldo Gallassini conduziu os primeiros experimentos de trigo e de soja em terras mourãoenses em 1969.

Com o sucesso do plantio, as produções aumentaram e a preocupação se tornou para quem vender os produtos recém-produzidos.

A partir desse movimento somado ao conhecimento de Fioravante João Ferri, madeireiro do Rio Grande do Sul, que surgiu a ideia de formar uma cooperativa. Gallassini e Ferri sabiam que este seria um passo importante para desenvolver a agricultura de Campo Mourão e oferecer uma vida melhor para os agricultores e suas famílias.

Após uma série de reuniões com lideranças do setor, nasceu então, em 28 de novembro de 1970, a Cooperativa Agropecuária Mourãoense Ltda (Coamo).

Para conferir os bastidores desta história de sucesso conversamos com Gallassini, hoje presidente do Conselho de Administração da Coamo.

Acompanhe!

Presidente do Conselho de Administração da Coamo, José Aroldo Gallassini. Crédito: Coamo.
Diretor-presidente da Coamo, José Aroldo Gallassini. Crédito: Coamo.

Qual a importância das cooperativas para o desenvolvimento econômico e social do Paraná?

O desenvolvimento do estado do Paraná através das cooperativas foi muito grande, principalmente a partir dos anos 70. O destaque vai para o cooperativismo agropecuário, onde temos o desenvolvimento de grandes cooperativas do agronegócio e também da pecuária em geral.

Com uma grande aceitação por parte dos produtores, as cooperativas paranaenses prestam um grande serviço ao estado e ao país. Se destacam, inclusive, em relação a outros estados. O trabalho é feito com muita seriedade. Tanto que, hoje, estão em uma boa situação econômica e desenvolvimento constante de seus quadros sociais.

Soja está entre os principais produtos produzidos pela Coamo. Crédito: Pixabay.
Soja está entre os principais produtos produzidos pela Coamo. Crédito: Pixabay.

Considerando os quase 50 anos de história da Coamo, qual é a força dos cooperados hoje em números e os principais resultados que alavancam juntos?

Na época em que a Coamo foi fundada, em 1970, não tinha produção de trigo nem soja na região.

A cooperativa foi fundada como um programa do sistema de extensão rural em um trabalho feito por mim, no dia 28 de novembro de 1970. Na época, tínhamos apenas 79 agricultores associados. Hoje, temos mais de 29 mil cooperados que participam ativamente da cooperativa.

O nosso objetivo foi justamente desenvolver toda uma estrutura para o atendimento a esse quadro social. A Coamo é uma grande cooperativa, voltada para o quadro social.

Nós desenvolvemos primeiro a questão da armazenagem, depois a industrialização dos produtos que os cooperados produzem, especialmente soja, milho, trigo e café. A nossa meta é industrializar os produtos dos cooperados, agregando maiores valores e atendendo ao mercado interno e externo.

Associados da Coamo durante realização de Assembleia Ordinária. Crédito: Coamo.

A união, a solidariedade e o bem comum são valores da Coamo. Como se constrói esse engajamento e essa harmonia entre cooperativa e cooperados?

A Coamo é a maior empresa do estado do Paraná, segundo a Revista Exame, e com uma Inscrição Estadual só. É também a 35ª maior empresa do país. Nós conseguimos isso graças ao trabalho feito junto ao quadro social. Mostramos o que é cooperativismo e desenvolvemos o espírito cooperativista em cada um dos nossos associados.

Com a implantação da soja, do trigo e depois do milho mecanizado a produção chegou a grandes volumes. Assim, a Coamo teve um sucesso muito grande no Paraná. E através da industrialização de suas produções, teve uma grande participação no comércio de produtos acabados para supermercados de todo o país.

Após a realização da assembleia geral, a cooperativa veiculou na televisão um informe mostrando os resultados atingidos em 2019. Qual o objetivo dessa campanha?

Nós temos um grande interesse em manter uma transparência muito grande em relação ao quadro social. Eu sempre digo que o sucesso do cooperativismo e o sucesso das cooperativas é a credibilidade junto aos associados. Sem isso seria impossível fazer uma cooperativa.

Vimos que, no passado, houve problemas decorrentes da falta de transparência em outras cooperativas, em outros estados. Então, sabemos que a diretoria tem que ter toda uma credibilidade junto ao quadro social. Isso é fundamental para o desenvolvimento de uma cooperativa.

A Coamo tem produtos industrializados que estão à disposição dos consumidores em vários estados do Brasil. Para o consumidor final, quais as vantagens de comprar ou usar um produto ou serviço com a marca da Coamo?

Um produto de cooperativa, falando especificamente dos produtos da Coamo, ele tem qualidade conhecida. Nós sabemos exatamente a rastreabilidade do produto. Se nós formos atrás dele, nós chegamos no produtor cooperado que entregou o produto naquele entreposto.

Tudo aqui é conhecido: desde o plantio dos produtos que nós trabalhamos até a entrega, industrialização e distribuição de Minas Gerais até o Rio Grande do Sul. Então, é um produto de qualidade, nós fazemos questão de ter qualidade. E isso faz com que a gente sempre tenha 100% de colocação de tudo o que nós produzimos no mercado.

Com os 50 anos da Coamo foi criado o slogan “A vida é a gente que transforma”, como ele se alinha com o trabalho de transformação que a cooperativa vem realizando?

O slogan foi criado justamente para a gente mostrar para a comunidade, como um todo, o nosso potencial transformador.

Nós estamos sempre nos preparando para o futuro e oferecendo melhorias nas indústrias. Trazemos novas tecnologias para os cooperados, para eles terem melhores produtividades. E também modernizamos as nossas indústrias de acordo com as exigências do mercado.

Gallassini acredita no papel transformador da Coamo Agroindustrial Cooperativa. Crédito: Coamo.
Gallassini acredita no papel transformador da Coamo Agroindustrial Cooperativa. Crédito: Coamo.

É assim que conseguimos transformar a vida desses mais de 29 mil cooperados. Agricultores que iniciaram lá atrás com pequenas propriedades, pouca produtividade e que, hoje, são propriedades importantes, com alta tecnologia e bem capitalizadas.

Então, a gente acha que essa transformação é a gente que faz: nossa diretoria, agora com Airton Galinari como presidente executivo pela governança corporativa, nossos funcionários e os nossos cooperados.

Coamo em números

No balanço de 2019, a Coamo superou R$ 13,9 em receitas globais e US$ 1,4 bilhão em exportações. No mesmo ano, realizou investimentos de R$ 565 milhões.

Mais de R$ 790 milhões foram distribuídos para os cooperados, proporcionalmente sobre o quanto movimentaram na cooperativa.

Para conferir todos os números do último balanço e ter acesso a outras informações sobre a Coamo acesse o site: www.coamo.com.br

Artigos relacionados

0 respostas para “Coamo chega aos 50 anos como a maior cooperativa do Paraná”

Deixe uma resposta