Menu Busca

Comportamento

Dia do cardiologista: em meio a crise, é preciso cuidar do coração

Para comemorar o Dia do Cardiologista conversamos com o médico Costantino Costantini, do Hospital Cardiológico Costantini.

No dia 14 de agosto é comemorado o Dia do Cardiologista, que é o profissional que cuida do coração. E, neste ano, sob um cenário atípico.

Sobre o tema, conversamos com o Dr. Costantino Costatini, médico do Hospital Cardiológico Costantini, referência no tratamento cardíaco no Paraná. Ele falou sobre o momento que vivemos, sobre os desafios da profissão e, mais do que nunca, da necessidade de controlar o stress.

“O stress, sozinho, é um dos maiores vilões que conhecemos e pode fazer nosso coração adoecer, pois libera hormônios – adrenalina e cortisol –  e esta situação pode ser traduzida com o aumento da frequência cardíaca e da respiratória, aumento da tensão arterial, tensão muscular, sudorese, secura da boca e mucosas, alteração dos fatores da coagulação, lentidão da digestão, aumento da glicemia e lipídeos e alterações bem como alterações da imunidade”, explicou.

E isso tudo, associado a um histórico de doença cardiovascular, funciona como uma bomba relógio para a saúde do coração.

Dicas de como manter o coração saudável

Para começar, o especialista listou práticas para manter o coração saudável. São elas:

1)  Elimine o stress.
2) Modifique seus hábitos alimentares (insira alimentos verdes no seu cardápio).
3) Nunca deixe de tomar suas medicações e controle rigorosamente os níveis de glicemia e
colesterol.
4) Faça, regularmente, exercícios aeróbicos (50 a 60 minutos diários).
5) Separe um momento do dia para  cuidar de você.  Meditação, após o almoço, é uma ideia. 

Prevenir é importante 

No Brasil, conforme o Cardiômetro da Sociedade Brasileira de Cardiologia, de janeiro deste ano até agora, mais de 209 mil vidas foram ceifadas por causas cardíacas. Por isso, o check-up cardiológico é uma ferramenta que não deve ser desprezada, principalmente para quem possui fatores de risco, como histórico familiar da doença, hipertensão, dislipidemia [colesterol anormalmente elevado ou gorduras (lipídeos) no sangue], diabetes mellitus, obesidade, sedentarismo, tabagismo e vida de stress sem controle.

“A procura do cardiologista deve ser encarada como educação sanitária”, disse Costantini.

 

Fonte: Dr. Costantino Costantini, médico do Hospital Cardiológico Costantini.

 

 

 

 

Cuidar de quem cuida do coração

Sobre a profissão, e a importância de reconhecê-la, o profissional entrevistado pelo De Olho no Mercado explicou que vai ao encontro ao sentimento de humanidade.

“Minha experiência médica dentro da cardiologia foi adquirida ao longo de 50 anos de uma atuação direta e continua frente as mais diversas situações clinicas do dia a dia, graças aos ensinamentos que tive a honra de aprender com os verdadeiros mestres da cardiologia”, contou.

Ele também deixou um recado aos colegas: “Que busquemos sempre ser éticos e sempre nos atualizarmos com conhecimento científico, tecnológico e humanitário”, declarou Costantini. 

Leia também:

Dia do Motorista: pandemia reflete a importância dos motoristas para a sociedade

Loja Top 50 aposta no relacionamento com os clientes para o comércio enfrentar a crise

Artigos relacionados

1 respostas para “Dia do cardiologista: em meio a crise, é preciso cuidar do coração”

  1. Hermes Dagoberto says:

    Gostei do tema de sua divulgação, gostaria de ver se é pertinente para meu site.

    Sds.

Deixe uma resposta