Menu Busca

Economia e Setores

Home sweet home: com todo mundo em casa, setor de reformas e construção cresce

A quarentena tem feito subir a demanda por reformas e construções. O De Olho no Mercado conversou com empresários e profissionais da área sobre o tema.

A quarentena tem feito muita gente observar a própria casa de forma diferente. Tanto, que a procura por reformas e construção aumentou e fez crescer a demanda do setor.

O De Olho do Mercado conversou com profissionais da área.

Material de construção

“Nas últimas quatro semanas sentimos um aumento de demanda considerável nas vendas. A maior procura é por revestimentos, iluminação e materiais para pequenas reformas”, explicou Luciano Schiott, proprietário da Comtudo Materiais de Construção

No entanto, ele também já observa um crescimento do número de grandes obras. “O setor de construção civil não parou”, declara.

Setor de iluminação da Comtudo Materiais de Construção. Foto: divulgação.

Sobre o modo de comprar, ele salienta que muitas vendas saem por telefone. “Fechamos pedidos e detalhes e entregamos com dia e hora marcada”, disse. Os que visitam a loja, que funciona em Guarapuava, seguem as medidas de cuidado e higiene orientados pelos órgãos de saúde.

A Comtudo Materiais de Construção oferece uma grande variedade de produtos com pronta entrega em Guarapuava e região. Além de materiais brutos, também tem uma área exclusiva de iluminação, com uma vasta coleção de artigos dos mais luxuosos ao minimalista.

Reforma

A arquiteta Gabriela Fedrizzi também sentiu esse aumento de demanda para o setor.  “As pessoas têm buscado por projetos de interiores, pequenas reformas, mas também por construção”, disse. Para a profissional, a procura subiu há pouco mais de um mês, quando o fluxo de projetos dobrou.

“Incialmente, a ideia é sempre reformar um cômodo. Mas acaba sendo comum emendar a reforma para outro canto da casa”, explicou. Segundo a arquiteta, com a quarentena forçada, o olhar sobre a casa passa por transformações.

“Os ajustes que antes eram deixados para depois, pela correria do dia a dia, estão sendo solucionados. Além disso, todo mundo está buscando uma casa mais funcional e aconchegante”, declarou.

Dicas

A arquiteta também deu algumas dicas para quem quer mudar o ambiente. “Mudar os móveis de lugar pode dar uma cara nova. Para quem quer investir pouco, pode apostar em plantas novas. Tapetes, luminárias, quadros também dão um toque extra”, falou.

Gabriela Fedrizzi é arquiteta no escritório que leva o mesmo nome. Foto: divulgação.

O escritório Gabriela Fedrizzi Arquitetura fica em Curitiba.

Decoração

E esses itens de decor estão mesmo mais procurados. É o que endossa Maristela Bubniak, gerente comercial das lojas Móveis Campo Largo.

“A procura aumentou, principalmente, em itens que deixam a casa mais confortável, como sofá, colchão e cadeiras de escritório. Passando mais tempo em casa as pessoas estão dando ainda mais valor para o que as cerca”, explicou.

A Móveis Campo Largo está atendendo nas lojas físicas, pelo WhatsApp e pela loja online.

A Móveis Campo Largo tem 8 lojas nas cidades de Curitiba, São José dos Pinhais e Campo Largo. Em seu portfólio estão sofás, mesas e cadeiras, uma vasta linha de mobiliário solto – de fabricação própria e das principais marcas do mercado nacional – bem como uma linha de colchões, decoração e móveis planejados feitos sob medida.

Leia também:

Loja Top 50 aposta no relacionamento com os clientes para o comércio enfrentar a crise

De hotel a “home office”

Artigos relacionados

0 respostas para “Home sweet home: com todo mundo em casa, setor de reformas e construção cresce”

Deixe uma resposta

Utilizamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e Política de cookies , ao continuar navegando, você concorda com estas condições.