Menu Busca

Economia e Setores

Polo tecnológico de Maringá desponta como Vale do Silício paranaense

Para entender o que impulsiona o desenvolvimento do novo Vale do Silício paranaense conversamos com as principais empresas do polo tecnológico de Maringá.

Destaque como polo tecnológico, Maringá vai além de uma das melhores cidades do Brasil para se morar. Nos próximos anos, a cidade espera se consolidar como o Vale do Silício paranaense

A meta faz parte de um plano estratégico previsto pelo Conselho de Desenvolvimento Econômico de Maringá (Codem). Uma iniciativa que envolve o estímulo e investimento no setor de Tecnologia da Informação.

Maringá é forte candidata ao posto de Vale do Silício paranaense. Crédito: O Silmarillion. Maringá é forte candidata ao posto de Vale do Silício paranaense. Crédito: O Silmarillion.

Hoje, a cidade abriga mais de 400 empresas de TI, que devem faturar cerca de R$ 1,2 bilhão em 2020, segundo dados da Secretaria Municipal de Inovação e Desenvolvimento Econômico (Seide). 

“O setor de TI é uma das apostas da cidade e também o que mais garante arrecadação de ISS para o município. Se no passado a agricultura era a atração, hoje Maringá se transformou na segunda cidade com mais expressão no setor de desenvolvimento de software no Paraná. Fica atrás apenas de Curitiba”.

12 fatores que fazem de Maringá o Vale do Silício paranaense

Para entender o que está por trás do desenvolvimento do polo tecnológico de Maringá, o De Olho No Mercado conversou com algumas das principais empresas da região.

Listamos a seguir os principais fatores apontados por elas como os principais propulsores do Vale do Silício paranaense.

1. A união de empreendedores e poder público para transformar o mercado regional

Desde 2007, as empresas locais de TI vêm discutindo meios de fomentar o crescimento do setor junto com os representantes políticos maringaenses.

“Maringá sempre teve a sociedade civil muito presente e participativa nos negócios e na vida cotidiana da cidade. Acreditamos que isso faz muita diferença, fomenta os negócios. E o poder público também tem ajudado com projetos de aceleração que fazem a diferença”.

Em 2017, teve início o Masterplan 2047, um plano que projeta o futuro de Maringá para os próximos 30 anos com base em um estudo encomendado pela consultoria PwC. Uma forma de homenagear a cidade em seu centenário.

Em 2018, a cidade ganhou um Conselho Municipal de Ciência, Tecnologia e Inovação (CMCTI) para o desenvolvimento de novas ações. Além disso, também conta com duas aceleradoras e a parceria do Sebrae com o Conselho de Desenvolvimento Econômico municipal.

2. Construção de um Parque de Tecnologia da Informação na Cidade

A partir de 2018, a cidade passou a planejar ainda um Parque de Tecnologia da Informação que vai funcionar como um Vale do Silício paranaense. A iniciativa partiu da doação de um terreno de 120 mil metros quadrados pela prefeitura.

“Maringá é construída com visão de planejamento a médio e longo prazo. Tudo o que a gente vem observando hoje, com o crescimento da cidade, mostra que nada é meramente acidental”.

3. Fundos de investimentos locais

Além da junção de empreendedores com o poder público, Maringá também dispõe de fundos de investimentos atrativos.

“A cidade dispõe de um ecossistema maduro, com aceleradoras de startup sem fins lucrativos como o Evoa, empresas consolidadas e um ambiente altamente colaborativo entre pessoas, empresários, sociedade civil organizada e poder público, além de fundos de investimentos locais como a Maringá Capital”, afirma Rezende.

4. Incentivo da prefeitura em relação a tributos

Empreender em Maringá é uma oportunidade ainda mais viável com o incentivo da prefeitura em termos de tributos. Com isso, o contribuinte empreendedor recebe um desconto quando adquire equipamentos ou bens como forma de investir em sua empresa.

5. Cooperativismo

A cultura regional também influencia a transformação de Maringá no Vale do Silício paranaense. 

“Nossa região tem uma cultura muito forte do cooperativismo, faz parte da região agro e é muito forte neste contexto. Então, isso acaba abrangendo as mais diversas áreas empresariais”, destaca Silva.

6. Ecossistema favorável

Rezende conta que hoje atuam em Maringá cerca de 5 mil profissionais só no setor de TI e que a cidade vem sendo considerada um dos melhores lugares do Brasil para se trabalhar.

“Maringá reúne características que acabaram gerando um ecossistema favorável à tecnologia. Oferece qualidade de vida e a busca por certificações que garantem o reconhecimento pela excelência dos postos de trabalho”, avalia Rezende.

“O polo tecnológico de Maringá é formado por universidades, centros de pesquisa e startups, que estão gerando o clima perfeito para gerar e posicionar a região como o Vale do Silício do Paraná”.

Alfredo Tulian, superintendente de tecnologia da informação na Sancor Seguros

 

7. Juventude

Para José Roberto Mattos, um dos fundadores da Talk Wine, a juventude é outro fator que impulsiona a inovação tecnológica. “Maringá é uma cidade jovem, com 77 anos, próspera e planejada”, opina ele.

8. Oferta de soluções

A diversificação na oferta de soluções é outro fator fundamental para o fortalecimento do polo tecnológico de Maringá.

“É um ótimo lugar para se fazer negócios e as empresas de tecnologia tem muito espaço para crescer aqui. Se você procura uma solução na área, temos certeza que alguma empresa daqui pode ajudar”, explica Gomes.

9. Polo universitário

A presença consolidada de aproximadamente nove instituições de ensino também é lembrada por Silva. “A cidade é conhecida no estado por ser um polo universitário, então a qualidade de ensino oferecida pelas instituições daqui ajuda a tornar Maringá ainda mais atrativa”, pontua.

Para Tulian as universidades estão formando profissionais não só tecnológicos como também de diferentes áreas. “Somados a diversas organizações, esse ecossistema está fomentando o empreendedorismo e desenvolvendo startups, germinando os primeiros frutos deste novo vale”, completa ele.

Mattos concorda com a ideia, afirmando que a cidade é um grande celeiro de mão de obra.

“Dos 400 mil habitantes, 45 mil são universitários voltados para o setor de tecnologia, que remunera muito bem e é competitivo em relação ao mundo inteiro”.

10. População

Outro dado lembrado pelos profissionais entrevistados pelo blog é o fato de que Maringá é a terceira maior cidade do Paraná. “É importante entender essa posição de Maringá dentro da região, ela já supera 400 mil habitantes em uma economia baseada no comércio e serviços”, destaca Silva.

11. Qualidade de vida

Ainda de acordo com Silva a qualidade de vida de Maringá é um marco importante neste cenário.

“É de fato um dos aspectos a serem considerados na hora de investir, trazer ou criar um negócio aqui. A cidade dá oportunidades para todo mundo e é muito segura, tem um índice de violência baixo. O que ajuda a atrair profissionais de fora”, avalia.

12. Salários atrativos

Silva destaca também a oferta de salários na área de TI como um atrativo para profissionais qualificados. “O que as empresas de Maringá pagam não fica para trás do que é oferecido nos grandes mercados e isso torna a cidade ainda mais competitiva”, completa.

Como fomentar negócios em Maringá

Tem interesse em fazer parte desse ambiente inovador e repleto de oportunidades na área de TI?

O superintendente de Tecnologia da Informação da Sancor Seguros, Alfredo Tulian, dá algumas dicas:

“Aconselho o empreendedor interessado a elaborar um plano detalhado de quais recursos serão necessários para desenvolver uma ideia, saber em quanto tempo e qual será a estratégia adotada para garantir um ROI aceitável. Esses pontos são muito importantes. Sugiro ainda que investiguem entidades que auxiliam na organização de projetos e também aquelas que financiam projetos ou startups. Dar o primeiro passo depende muito mais da determinação pessoal do que do contexto ou de uma boa ideia, então incentive-se a ser um empreendedor”.

Preparado para dar o primeiro passo rumo ao Vale do Silício paranaense? 

“Empreender aqui vai aumentar significativamente sua taxa de sucesso devido o ambiente desenvolvido e colaborativo”, incentiva o CEO do Grupo DB1, Ilson Rezende.

Se precisar de ajuda com informações e soluções de comunicação no Paraná fale com a gente ou escreva para mktcomunicacao@rpc.com.br.

 

Leia também:

> 5 empresas de Maringá para ficar de olho no pós-pandemia

> Como usar a comunicação para superar a crise

Artigos relacionados

0 respostas para “Polo tecnológico de Maringá desponta como Vale do Silício paranaense”

Deixe uma resposta