Menu Busca

Economia e Setores

Biopark estimula crescimento da Região Oeste do Paraná

Parque Tecnológico pretende gerar 30 mil novos postos de trabalho em aproximadamente 30 anos

 A cidade de Toledo e Região vêm se tornando referência em pesquisa, inovação e geração de negócios. Esse reconhecimento é impulsionado pela atuação do Bioparko primeiro parque científico e tecnológico de biociências on demand side do país.

O diferencial do Biopark está no fato de que as ações, projetos e pesquisas desenvolvidos são voltados para a demanda, tanto do mercado quanto da sociedade. Dessa forma, dentro da área de mais de 5 milhões de m², os terrenos e espaços podem ser adaptados de acordo com as necessidades de instituições e empresas. 

O espaço foi criado em 2016 pelos empreendedores Carmen e Luiz Donaduzzi. Ambos possuem mais de 40 anos de experiência em empreendedorismo e desenvolvimento de pessoas. Hoje, o parque já abriga mais de 100 empresas, incluindo as internacionais, além de quatro universidades.

Empresas de diversos setores e tamanhos estão presentes no parque, criando um celeiro de inovação e tecnologia que tem atraído a atenção do setor empresarial a pequenos empreededores. No local, é possível negociar terrenos ou espaços de trabalho já construídos. São desde coworkings, salas exclusivas ou mesmo áreas industriais.

Para que as empresas e startups decidam por instalar suas sedes no local, o Programa de Residência oferece diversos benefícios. Um deles é a oferta de estrutura física sem custo de aluguel, pelo período de um ano.

A região de Toledo está se consolidando como polo de pesquisa, desenvolvimento e tecnologia, graças à atuação do Biopark. Imagem: divulgação.

Os investimentos na construção de novas instalações no Biopark já somam mais de R$ 300 milhões. Entre eles, estão um Centro de Distribuição de Medicamentos da Prati-Donaduzzi, que já está com as obras avançadas, e um Complexo Hospitalar do Grupo Sempre Vida.

“Para nós, o Biopark tem o significado de sentido de vida. Queremos que todos ganhem com a sua consolidação. Acreditamos que a única forma de ajudar o país é atuar na formação de profissionais qualificados e na geração de empregos. Por isso, quanto mais empresas tivermos aqui, mais oportunidades teremos”, explica Luiz Donaduzzi, fundador e presidente do Biopark.

Com a atração de empresas e novas frentes de trabalho, o Biopark tem avançado na meta de gerar novos postos de trabalho. Somente as empresas residentes geram cerca de 300 empregos diretos, além dos mais de 120 gerados pelo empreendimento.

A meta para 2021 é ter 300 empresas instaladas até dezembro. Além de gerar 30 mil novos postos de trabalho em aproximadamente 30 anos. 

Educação e Pesquisa 

Uma das áreas prioritárias no parque é a de educação e formação. Já são quatro universidades instaladas no  terreno. Uma delas é o campus de medicina da Universidade Federal do Paraná (UFPR). A unidade teve a doação do terreno e prédio feita pelo casal de empreendedores Carmen e Luiz Donaduzzi, em um valor de R$ 22 milhões.

Também estão no local outras instituições importantes na área de educação.  O Instituto Federal do Paraná (IFPR), com curso de Análise e Desenvolvimento de Sistemas. E a Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR), com o  mestrado profissional em Tecnologias e Biociências. Essa última recebeu recentemente a doação de uma área de mais de 37 mil m², e deverá ofertar em 2021 uma pós-graduação na área de Ciência de Dados e Inteligência Competitiva. 

Há também a iniciativa própria de ensino do empreendimento, o Biopark Educação, em parceria com a UniAmérica, onde são ofertadas graduações, cursos técnicos e especializações.

Pesquisa e Desenvolvimento

A área de pesquisa e desenvolvimento também está em constante crescimento dentro do parque. Um exemplo são as pesquisas em biomateriais, que estão sendo realizadas em parceria com a Université Laval, de Quebec (Canadá), o Instituto Erasto Gaertner, de Curitiba, e a Manufatura Aditiva, que possui foco na área da saúde através da produção de próteses e órteses em impressoras 3D. 

Destaca-se, ainda, o laboratório de pesquisa na área de queijos finos. Esse projeto que visa elevar a bacia leiteira regional a outro patamar por meio da transferência de tecnologia para produção de queijos com alto valor agregado. 

Rocket: Parceria com a RPC

Em 2020, o Biopark foi um dos apoiadores do Rocket Startup, reality show de inovação e empreendedorismo da RPC, na órbita de negócios e estilo de vida. O projeto tem propósito alinhado ao Biopark:  incentiva e negócios inovadores, e o desenvolvimento do empreededorismo no estado do Paraná.  

“Nós acreditamos muito no Rocket como uma ferramenta de alavancagem para a marca do Biopark. Especialmente para o desenvolvimento dos negócios e para a atração de startups”, comenta Paulo Victor Almeida, Diretor de Negócios do Biopark.

 

Quer ver a sua marca na RPC? Fale com a gente

 

Leia Mais 

> 2021 promete retomada da crise; empresas do Paraná saem na frente

> Startups promissoras do Paraná revelam como superar crise do coronavírus

> Polo tecnológico de Maringá desponta como Vale do Silício paranaense

Artigos relacionados

0 respostas para “Biopark estimula crescimento da Região Oeste do Paraná”

Deixe uma resposta