Menu Busca

Economia e Setores

A visão de negócio do herdeiro de empresa paranaense e milionária!

Com faturamento de R$750 milhões anuais o CEO do grupo Santa Maria é o responsável em chefiar a empresa familiar de destaque nacional.

Marcelo Podolan Lacerda Vieira 50 anos de idade, formado em administração, CEO e herdeiro do Grupo Santa Maria sediado em Guarapuava PR. A empresa atua nos segmentos de papéis, reflorestamento, agricultura e energia.

Há anos, entre as 100 melhores empresas do Paraná e uma das 500 do sul do Brasil, além de ter conquistado grandes certificações.

Santa Maria nasceu inicialmente como uma serraria que atendia o mercado madeireiro nacional. Desde então, a empresa segue expandindo.

A indústria – que exporta para os continentes Americano, Europeu, Asiático e Africano, comemora as seis décadas de atividade com um faturamento anual de cerca de R$ 750 milhões.

Marcelo cresceu em meio às propriedades rurais da família, aprendeu muito com o avô, José Podolan e o pai, Manoel Lacerda Cardoso Vieira, fundadores da empresa e deixaram lições básicas de gestão, empreendedorismo e respeito ao meio ambiente. Marcelo hoje, segue dando continuidade aos negócios da família.

Continuidade

Hoje, considerando-se uma pessoa realizada, Marcelo assumiu oficialmente no ano de 2014 a frente do grupo Santa Maria, ele afirma que o planejamento e visão de mercado do seu pai e do seu avô foi o principal motivo do sucesso alicerçado da empresa.

“Na década de 60 estava acabando a madeira nativa, e naquele momento muitas empresas não se planejaram para o futuro, tanto que na época, no Paraná tinham centenas de serrarias que fecharam as portas, com planejamento e compreensão do momento, meus pais e meu avô tiveram a capacidade de visualizar o produto ideal para o momento e trabalhar com reflorestamento”, conta Marcelo.

No início de 1970, o pinus veio para o Brasil direto do sul dos Estados Unidos, nesta mesma época, foi quando começou o fomento do pinus no país.

A divisão florestal do grupo teve seu início na década de 70 e levou o nome Reflorestadora São Manoel.

O produto final deste reflorestamento são as toras que atendem as demandas de indústrias de bases florestal, o mercado de compensados, serrarias, moveleiros, embalagens, construção civil e energia.

Profissionalismo

O planejamento e visão de negócio está no gene, uma vez que Marcelo chegou ajustando os ponteiros. Para continuar crescendo, assim que assumiu a presidência, ele começou a reestruturar o funcionamento da empresa.

A visão de negócio do herdeiro de uma empresa paranaense e milionária!
“A educação de qualidade pode trazer excelentes resultados em todos os aspectos da nossa sociedade.” Propriedade do Grupo Santa Maria, em Guarapuava.

“A gente implantou modelo de governança, com formação de conselho, reestruturação de executivos favoreceu um ambiente mais profissional que impactou diretamente nos resultados da empresa”, conta. 

Ainda de acordo com o Marcelo, os números da empresa seguem progredindo desde então. A visão panorâmica de negócio, faz com que a empresa apresente diferenciais de valores aos seus colaboradores.

Educação

Gerando 750 empregos diretos, a Santa Maria também possui plano de carreira e muito incentivo aos estudos dos seus colaboradores. Em 60 anos de existência, a empresa tem no histórico muitas carreiras. Marcelo que já morou fora do Brasil e tem uma visão de mercado muito clara, entende que o segredo do progresso do país está na educação e usa isso modificando a realidade que lhe compete.

Vieira coloca em prática o que gostaria de observar no cenário brasileiro: integridade, profissionalismo e gestão sustentável dos recursos existentes.

“Acredito muito na formação das pessoas para que o Brasil possa competir com as nações mais desenvolvidas, a nossa população ainda tem uma base de ensino fraca, isso em todos os níveis, fundamental médio a superior, passando pelos técnicos, elas precisam ser melhoradas, para que os negócios possam crescer e se tornar mais competitivo no mercado internacional”, analisa o CEO Marcelo.

Pensando nisso, a empresa passou a fazer parcerias que se somam à mão de obra que a Santa Maria necessita. Como formação técnica em parceria ao Sesc do setor de papel e celulose, para melhorar a formação dos técnicos para a indústria. Além  disso, a empresa incentiva e patrocina a formação extra de acordo com a formação a empresa precisa.

“Nós fomentamos muito que as pessoas sigam se capacitando, incentiva demais os colaboradores a continuarem estudando, sabemos da importância de dar condição e tempo para dedicação aos estudos, por isso sempre estamos fazendo questão de enviar colaboradores a seminários, cursos, simpósios, feiras… estimulando a equipe e propiciando um ambiente para que tenha como ir atrás destes ensinamentos”, explica Marcelo.

Sucessão

Com uma rotina cheia de compromissos, Marcelo é o membro da família que herdou o tino para o negócio. Desde pequeno envolvido com os processos, ele cresceu inserido na realidade que hoje preside, cenários diferentes do atual.

A irmã de Marcelo, Wanderleia Lacerda Vieira Caron é acionista e membro do conselho de administração do grupo. Os irmãos costumam conversar sobre o futuro da empresa e a sua sucessão. Ambos têm filhos pequenos, mas ainda é difícil saber se seguirão os mesmos passos.

A divisão florestal do grupo teve seu início na década de 70 e levou o nome Reflorestadora São Manoel, a dimensão do espaço equivale a 1200 campos de futebol.

“A gente discute como será a vinda de nossos filhos para o grupo, não temos definido se deixamos virem para o negócio ou apenas no conselho, ainda não temos a clareza, mas a ideia é que a empresa siga fortemente no processo de profissionalização e eles fiquem, quem sabe, apenas no conselho”, conta Marcelo.

Expansão

Segundo Podolan, as perspectivas para o futuro são de seguir expandido, desenvolvendo novos produtos para se adequar as novas demandas de consumo que estão se apresentando pós pandemia. Para o próximo ano os investimentos seguem forte.

No negócio energia, a construção de uma nova PCH em Guarapuava (PR), com investimento de R$ 80 milhões,  vai gerar 10 megawatts e tem a previsão de conclusão no segundo semestre de 2023. Ainda este ano, uma usina solar fotovoltaica de 5 megawatts será finalizada, é resultado de um investimento de R$ 20 milhões.

O Grupo Santa Maria recebeu em 2017, o selo Great Place to Work, (consultoria global que apoia organizações a obter melhores resultados por meio de uma cultura de confiança, alto desempenho e inovação). Também possui a certificação FSC (Forest Stewardship Council, é uma organização independente, não governamental, sem fins lucrativos, criada para promover o manejo florestal responsável ao redor do mundo) e atualmente está implantado o BPF (Boas Práticas de Fabricação).

No setor florestal, cultiva 15 mil hectares de florestas. No setor agrícola, produz diversas culturas em uma área superior a 7 mil hectares anuais.

A indústria de papel produz cerca de 110 mil toneladas/ano, enquanto na energia, gera mais de 44 megawatts por mês – quantidade equivalente ao necessário para abastecer uma cidade de cerca de 180 mil habitantes, em 60 mil residências.

Conheça mais da empresa: https://www.santamaria.ind.br

Artigos relacionados

0 respostas para “A visão de negócio do herdeiro de empresa paranaense e milionária!”

Deixe uma resposta