Menu Busca

Economia e Setores

8º Open House traz protótipos, workshops e talks sobre inovação

Open House, evento da Globo de inovação e tecnologia, revela propostas para romper as barreiras de seu modelo tradicional.

A Globo incorpora novas tecnologias ou é a tecnologia que transforma suas formas de existir? O Open House, evento que demonstra diversas iniciativas de inovação da empresa, é um bom local para desvendar este paradigma. Em formato de dois dias, de 27 a 28 de novembro, projetos pilotos são apresentados como uma feira de ciências e são intercalados com pitchings, palestras e workshops sobre assuntos pontuais relacionados ao universo da inovação. Ainda revelam  em quais pilares a empresa ampara uma visão de negócio alinhada à transformação digital.

No evento, a Globo, literalmente, abre suas portas e permite ao público conhecer um pouquinho de alguns projetos audaciosos, que envolvem Big Data, Deep Learning, Computação Gráfica, Interatividade, Games, Realidade Virtual, Realidade Aumentada, 8k, NLP, Assistentes de Voz e muitos outros temas, que são revelados de forma simples e contundente por pesquisadores e desenvolvedores da casa.

Haline Costa Maia, analista criativa de marketing, da RPC,  participou do evento e comenta que desde a primeira apresentação já se percebeu imersa em uma cultura diferente, que disputa a atenção pela exposição atenciosa de mais de 20 projetos desenvolvidos pelas equipes da Casa de Inovação, espaço de três andares localizado no Jardim Botânico, Rio de Janeiro. “É hora de se acostumar com tudo isso para aproveitar o evento da melhor forma possível, pois além dos projetos, participei de workshops e talks em horários diversos”, comenta.

“Durante os dias de evento, fui anotando algumas coisas que fizeram a diferença na forma com que eu aproveitei e absorvi os acontecimentos. A ideia é ajudar aos entusiastas do tema a se aventurarem por esse universo, assim como eu”.

Então, vamos lá:  

AIDA MANIFEST

Quando pensamos em tecnologias para uma Rede de Televisão, não às relacionamos, normalmente, as experimentações de Machine Learning, por exemplo, mas a surpresa está logo ali, na primeira apresentação. AIDA, o Algoritmo Interpretador de Dados, surpreende ao trazer uma proposta de Text to Speech para automatizar locuções de uma Âncora Digital.

aida-manifest

Sua utilização surgiu para tratar problemas reais do jornalismo e agora o projeto ganha a roupagem do seriado Manifest, com surpresas de interações personalizadas. “Não darei mais spoileres, pois o público poderá conferir essa interação no próximo CCXP- Comic Con Experience, em São Paulo. Só posso afirmar que AIDA é um projeto que dá orgulho”, elogia Haline.

G1 NO SEU TEMPO

Quem acompanha as iniciativas de IA sabe que os recursos de voz são a onda do momento. Nesse projeto, notícias do G1 são compiladas também com o uso de NLP – Natural Language Processing, recurso de Deep Learning que transforma dados em voz. 

Aqui, o destaque está também na interação com outros conteúdos gerados por humanos, como os podcasts do G1, pois o projeto permite que o usuário diga quanto tempo possui para ouvir as notícias, mas ao selecionar as de longa duração recebe estes gerados por jornalistas. As opções são de curta, média ou longa duração, com entrega no celular. Uma versão que amplia o alcance da informação ao sabor do freguês. Siri e Alexa que nos aguardem!

RIR EM 8K

 

O Rock in Rio de 2019 foi palco dessa inovação inédita de transmissão 8K da Globo, com produção e finalização feitas todas internamente. A sigla K está relacionada com a quantidade de pixels por tela e que em um display 8K possui as impressionantes 7680 pixels horizontais por 4320 verticais.

Têm 16 vezes mais resolução que o HD, com 2000 pixels por linha e “eu tive o privilégio de ver uma dessas na sala do segundo andar. Já estou economizando para comprar a minha no futuro agora que sei que a Globo já está preparada para lançar conteúdos nessa qualidade!”, afirma Haline.

 

ARES

O terceiro andar guarda as surpresas da computação gráfica, área impactante, com projetos de modelagem, estudos em deepfake e recursos de maquete 3D dos estúdios Globo. Claro que a Realidade Aumentada não podia ficar de fora e a Globo já possui projetos belíssimos de interação com seus programas e minisséries. 

Um destaque é que a mesa tática inventada para as interações esportivas nas Olimpíadas foi repaginada com a aplicação para as transmissões de e-Sports, com o apresentador podendo interagir de dentro do mapa dos jogos. Um recurso que permite maior aproximação com um público mais leigo e que não entende muito das regras dessa modalidade. Lá estou eu interagindo com League of Legends!

 

WORKSHOPS E TALKS

No meio de conversas e descobertas ainda sobrou energia para participar de trocas em formato de workshops e palestras. Durante o dia 27, participou de uma oficina de Sparks Ar, um  programa fornecido pelo Facebook para elaborar filtros de realidade aumentada para redes sociais. Gustavo Vitulo, Design Lead da Globo, é desenvolvedor de alguns filtros conhecidos e já teve seu Instagram alçado à casa de 500 mil seguidores depois que começou a se aventurar nessa habilidade.

Nas palestras, Haline pode captar as dicas valiosas de Rodrigo Barros, CEO da Boali e responsável por passar passos para incorporar a Indústria Foodservice 4.0 de forma ampla e pulverizada. Ainda sobre a utilização da voz, Simone Kliass Jason Bermingham, voiceover artists na GNT, demonstraram os novos cenários a serem explorados pela tecnologia aplicada à voz.

Serviço:

http://openhouse.tvglobo.com.br/

Changes Call Innovation
27-28 NOVEMBRO | 11h às 20h

Casa da Inovação, RJ

  por Haline Maia

Artigos relacionados

0 respostas para “8º Open House traz protótipos, workshops e talks sobre inovação”

Deixe uma resposta