Menu Busca

Economia e Setores

Do Sudoeste para todo o Estado: otimismo é palavra de ordem no comércio

Na região de Pato Branco, empresários do comércio falam sobre otimismo, resultados do primeiro semestre e expectativas para fechar 2018.

No Sudoeste do Paraná não faltam motivos para empreender, investir e consumir. Além da região ser destaque no uso da tecnologia para o agronegócio, o Sudoeste também tem saldo positivo quando o assunto é comércio.

Dados da Fecomércio PR, publicados na Pesquisa Conjuntural do Comércio, mostram um aumento de 4,27% nas vendas. O resultado considera um comparativo entre o primeiro quadrimestre de 2017 e 2018. Ao equipararmos os números apenas do mês de abril, a diferença é ainda mais favorável. São 10,21%, 2% a mais do que o número geral que engloba as vendas em todo o Paraná.  Em seu boletim mensal, a Federação afirma que a melhoria do varejo e da economia do estado em 2017 permitiram reflexos vantajosos no início de 2018. 

Primeiro semestre foi positivo!


Entre os mercados que apresentaram aumento das vendas no primeiro quadrimestre de 2018 está o de calçados. De acordo com os dados da Fecomércio, o comparativo com o mesmo período de 2017 mostra um aumento de 3,54%. “Este tem sido um bom ano”, conta Leandro Pereira dos Reis, sócio proprietário da Loja Lillean Calçados.  Vinda do grupo Serallê Calçados, que atua em mais de 13 cidades do estado, a marca tem hoje duas lojas, uma em Pato Branco e outra em Francisco Beltrão.

O consumidor bem informado, em busca de produtos de primeira, é constante nos setores do comércio. Reis afirma que, nos últimos anos, tem percebido uma prioridade dos clientes quanto à qualidade dos produtos. Entre os objetivos da Lillean para o segundo semestre estão a manutenção dos investimentos em publicidade e uma ampliação da presença da marca em canais digitais.

Para o segundo semestre, tem desafios e oportunidades

Em 1984, Francisco Gava inaugurava a então Patô Móveis, empresa com foco na restauração e fabricação de pequenos móveis sob medida. “Trabalhávamos em um barracão de chão batido, alugado, com 200m². Hoje, sob o nome Gava, a empresa tem uma sede própria de 4.500 m², atua na fabricação de móveis sob medida para residências de alto padrão e gera 100 empregos diretos”, afirma o empresário de Pato Branco.

A cidade, inclusive, foi sinalizada como a que mais gerou empregos com carteira assinada no Paraná em 2017.  As informações são do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho.

A opinião de Gava reflete os dados do estado: o mercado em 2018 se mostra atípico, e tem oscilado entre altos e baixos. “Os clientes estão pensando duas vezes antes de investir em móveis”, explica. Para o empresário, o desafio de atingir as metas da empresa caminha lado a lado com as oportunidades de ampliação na área de atuação e o desenvolvimento de novos produtos. A favor das empresas focadas em seus processos, estão os novos comportamentos de consumidor notados pelo empresário. “Há pouco tempo, os clientes procuravam a empresa sem saber exatamente o que queriam. Hoje, eles têm total conhecimento do que buscam, inclusive sobre o método de fabricação”, afirma.

E para quem quer empreender em Pato Branco?

Tanto Reis quanto Gava têm visão otimista sobre a cidade nos próximos meses. “Vejo o potencial comercial da cidade de forma bem positiva”, conta o proprietário da Lillean. Entre as oportunidades de negócio para a cidade, Gava deixa sua dica: “acredito que faltam opções de restaurantes que atendam às necessidades de atendimento no horário noturno”, completa.

Vamos juntos investir no comércio do Sudoeste? #DeOlhoNoMercadoRPC

Artigos relacionados

0 respostas para “Do Sudoeste para todo o Estado: otimismo é palavra de ordem no comércio”

Deixe uma resposta