Menu Busca

Economia e Setores

A hora e a vez dos podcasts

Conheça a tendência do momento e o que é preciso para fazer um bom material. Com a palavra, CANJA Audio Culture!

Podcasts oferecem facilidade, praticidade e informação. Nos Estados Unidos, por exemplo, os arquivos de áudios já se tornaram tão populares que devem movimentar uma receita publicitária de US$ 1 bilhão até o final de 2019, segundo dados do Global Entertainment & Media Outlook 2019-2023. Até 2022, há previsão de que o crescimento em participação percentual exceda as receitas de circulação de jornais digitais.

No Brasil, os podcasts também não param de crescer. Uma pesquisa inédita do Ibope divulgada em maio, mostrou que quatro em cada dez internautas já ouviram esse tipo de mídia. A maioria consome pelo Youtube (42%), seguida por Spotify (32%). Juntas, as duas plataformas concentram 74% do público de podcasts no país. De olho nessa parcela que não para de crescer, o jornalismo da Globo lançou em agosto uma série de podcasts no Portal G1.

Mas, o que são podcasts?

De acordo com a Associação Brasileira de Podcasters (ABPod), podcasts são programas de áudio ou vídeo. Sua principal característica é um formato de distribuição chamado podcasting. Para Lucas Sfair, co-founder da CANJA Audio Culture e integrante da presidência do CCPR, o formato veio mesmo para ficar. E um dos motivos é a praticidade. Uma pesquisa de 2018 da ABPod, em parceria com a CBN, mostrou que 79% dos ouvintes preferem ouvir os conteúdos durante os trajetos de locomoção.

podcasts

“É uma forma de se atualizar ou de entreter que geralmente fica em segundo plano diante de outras tarefas cotidianas”, explica Sfair.

Engana-se quem pensa que precisa ser um expert ou dispor de grandes equipamentos para criar um podcast. O que importa é ter conteúdo relevante. O tema pode ser política, notícia, e temas curiosos como crimes famosos ou vida extraterrestre. “Gere um conteúdo relevante, tenha convidados especiais e assuntos interessantes”, ensina Sfair.

“Fazer um podcast  é algo acessível para qualquer pessoa. Desde um estudante do ensino médio, até para grande corporação”, afirma Edward Schmitz, único podcaster brasileiro a participar do Podcast Movement na Flórida neste ano. Ele também é host do podcast Vida nos Trilhos.

Depois de lançado, o podcast tem como vantagem saber exatamente quantas pessoas ouviram os episódios.

“Com métricas mais precisas os anunciantes poderão segmentar melhor o seu público-alvo e ter medições melhores do retorno sobre seus investimentos em propaganda”, acredita Edward.

Podcasts para ouvir sem moderação

A convite do De Olho no Mercado, Lucas fez uma listinha com os podcasts que mais gosta de ouvir. Confira:

Na Salinha – bate-papo quinzenal do Daniel Oksenberg com protagonistas do mercado publicitário

Café da Manhã – episódios praticamente diários. Tem, em media 20 minutos, com curadoria e produção da Folha de São Paulo. Um bom jeito de se manter atualizado sobre os principais acontecimentos políticos do mundo.

Tech & Society – podcast do Mark Zuckerberg, CEO do Facebook, sobre tecnologia e sociedade. Convidados especiais e papos fervorosos. Disponível apenas no Spotify.

Sistema Solaris – Felipe Solari conversa com inúmeros artistas sobre muitas coisas legais, rende sempre um bom papo.

Leia mais em:

Mercado de comunicação: o que muda agora?

Acompanhe a home da RPC e nossas redes sociais: Fan pageTwitter Instagram.

Quer estar por dentro das nossa programação? Baixe o aplicativo da RPC

Artigos relacionados

0 respostas para “A hora e a vez dos podcasts”

Deixe uma resposta