Menu Busca

Inovação e Tendências

Guarapuava é semifinalista no Prêmio Nacional de Inovação

Disputa na premiação é reconhecimento de ambiente favorável à inovação e união entre os diferentes atores envolvidos; saiba mais

O ecossistema de inovação desenvolvido em Guarapuava foi reconhecido pela seleção do município como semifinalista do Prêmio Nacional de Inovação. A honraria é idealizada pela Mobilização Empresarial pela Inovação (MEI), em parceria com a Confederação Nacional da Indústria (CNI) e com o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (SEBRAE).

O município de Guarapuava passou pela primeira seleção e segue na disputa de prêmio nacional. Imagem: Divulgação

A cidade está concorrendo à premiação na modalidade “Ecossistema de Inovação em Desenvolvimento” com outros quinze municípios. Nesta categoria, são avaliados projetos que englobam iniciativas de universidades, incubadoras e do poder público. A segunda banca de avaliação acontece nos dias 16 ou 17 de fevereiro. O anúncio da premiação está marcado para o dia 8 de março.

“É um reconhecimento do trabalho e esforço que estão sendo feitos em conjunto com o ecossistema de inovação de Guarapuava. Ficamos muito felizes de receber esse reconhecimento. Estamos nos reunindo com a equipe e nos preparando para avançar para a próxima fase”, afirmou o secretário Municipal de Desenvolvimento Econômico e Inovação, Sávio Denardi.

Além de secretário municipal, Sávio é presidente do Fórum de Ciência, Tecnologia e Inovação de Guarapuava (Fórum CT&I), que tem a função de discutir estratégias estruturantes junto a atores públicos, da iniciativa privada e do terceiro setor. Para Sávio, o trabalho unificado dos setores da sociedade foi determinante para a cidade passar pelo crivo inicial do prêmio.

“Eu acredito que a própria união dos atores de inovação de Guarapuava é uma característica muito forte, que vale muito. O Fórum faz esse papel de integrar e unir todas as entidades que fazem parte desse ecossistema. É legal que todos estão olhando para a mesma direção, entendendo as diferenças e unificando as agendas”, destacou Sávio.

Ecossistema de inovação reúne agentes públicos, privados e do terceiro setor em Guarapuava. Divulgação/Pref. de Guarapuava

Feliz pelo reconhecimento, o secretário acredita que Guarapuava pode alcançar um lugar ainda melhor na premiação. “Estamos confiantes. Nossos dados são consistentes e nosso ecossistema está ativo e pulsante. Estamos indo com muita tranquilidade e confiança”.

União de esforços

Entre os atores envolvidos na prática da inovação em Guarapuava, o Sebrae é um elemento articulador do ecossistema guarapuavano.

O Sebrae atua em várias frentes. Buscamos fomentar a atividade do ecossistema e unir as entidades dentro deste objetivo”, ressalta o consultor Agenor Felipe Krysa.

Segundo Krysa, o Sebrae trabalha no apoio para o surgimento e desenvolvimento de startups e em orientações sobre gestão aos envolvidos nos habitats de inovação. Na opinião do consultor, a escolha de Guarapuava entre os semifinalistas do prêmio significa o crescimento da cidade neste aspecto.

“Isso aponta para nós que estamos no caminho enquanto sociedade, enquanto ecossistema de inovação. Mostra que Guarapuava avançou muito nestes últimos anos nesta pauta. Ainda há muito a avançar, mas demonstra um potencial local muito grande. Temos muitas pessoas engajadas e instituições envolvidas, e teremos muitos resultados no futuro”, disse.

Estímulo à inovação

Nos últimos anos, foi desenvolvido em Guarapuava um ambiente favorável à inovação que culminou na formação de grupos que visam a pesquisa e o desenvolvimento de tecnologias, pensados para solucionar problemas da sociedade, como o Vale do Genoma, uma rede de pesquisadores e instituições criada pelo poder público em junho de 2021.

Outro projeto existente no município e criado ainda no ano de 2020 é o Cilla Tech Park. O parque tecnológico é uma associação sem fins lucrativos formada por um conselho composto por representantes do poder público, da iniciativa privada e do terceiro setor. O objetivo é o desenvolvimento de iniciativas empreendedoras tecnológicas em várias frentes.

Cilla Tech Park atrai e desenvolve iniciativas tecnológicas visando o desenvolvimento sustentável de Guarapuava e região. Foto: Divulgação/Cilla Tech Park

Desde sua fundação, o Cilla Tech Park fez parte de diversas ações de fomento, como o Inova Park, um programa de startups para alunos de ensino médio, e o Capacita Guarapuava Tech, voltado ao mesmo público, com a promoção de oficinas de temática tecnológica objetivando a capacitação de jovens.

Nova direção

Em janeiro, Géri Natalino Dutra, profissional de tecnologia radicado em Pato Branco, assumiu como diretor executivo do Cilla Tech Park. Professor da UTFPR e coordenador de curso da Faculdade Mater Dei, Géri estava com a carreira estabilizada, mas percebeu que algo diferente acontecia em Guarapuava. “Em um primeiro momento eu disse que não viria. Mas quando conheci o que estava sendo feito em termos de tecnologia e de inovação, e o ambiente que se percebe em Guarapuava, a motivação das pessoas, a empolgação com esse momento, aceitei o desafio para fazer parte dessa realidade”, explicou.

O diretor reforça a visão alinhada das instituições do município. “Não há como criar um ecossistema apenas com um [personagem] ou um pequeno grupo querendo que isso aconteça. Aí vem aquele conceito das hélices. Você tem o poder público, o empresariado, as instituições de ensino, e o terceiro setor como hélices. Que essas hélices funcionem em sintonia de forma muito próxima para que as ações e a atuação sejam lógicas. Como cada um faz uma pequena parte, os resultados começam a aparecer de uma forma muito consistente e você começa a fazer com que a população perceba esse ambiente. Esse ciclo virtuoso vai se repetindo cada vez mais rápido. O melhor é que o resultado é muito bom para toda a comunidade, não apenas para quem está envolvido no processo”.

Géri considera a disputa pelo Prêmio Nacional de Inovação como mais um passo importante do ecossistema local.

“O mais importante é que as pessoas estão olhando para Guarapuava com outros olhos. Que a gente tenha novas empresas, novas ideias, novos talentos se estabelecendo aqui, fazendo parte desse ambiente e aproveitando nossa localização geográfica para ser esse grande polo de inovação”.

 

 

Participação universitária

Guarapuava é também um importante centro universitário paranaense, com campi de entidades públicas e privadas, como o Centro Universitário Campo Real.

O conceito de inovação foi incluído nos vinte cursos ofertados pela Campo Real. Divulgação/Campo Real

O ambiente universitário é fortalecido pelas parcerias e pela atuação no ecossistema local. “Nós participamos de forma bastante ativa no Fórum CT&I. Estamos fundando uma incubadora tecnológica de startups, a Evolve Campo Real. Ela tem um papel importante no fomento à inovação e ao empreendedorismo. Temos diversas parcerias com a prefeitura e com o Sebrae, desenvolvendo projetos com alunos e professores, visando à inovação. Conseguimos incluir inovação nas mais diversas áreas dentro dos vinte cursos oferecidos na Campo Real”, conta Moana Rodrigues França, pró-reitora de pós-graduação, iniciação à pesquisa e extensão do Centro Universitário.

O know-how universitário permite que as pesquisas e projetos acadêmicos se transformem em mudanças palpáveis para a sociedade guarapuavana.

“Nós temos programas e projetos de extensão em que integramos muito a questão social, a sociedade e suas necessidades, para que nossos alunos e professores ajudem a resolver questões reais” afirmou.

Como exemplos recentes, Moana citou a Casa da Mulher Brasileira, que foi desenhada por alunos da arquitetura, visando atender a necessidade da Secretaria de Políticas Públicas para as Mulheres e um projeto de parceria com a APADEVI (Associação dos Pais e Amigos do Deficientes Visuais), em que foram desenvolvidos com os alunos das engenharias equipamentos para auxiliar na alfabetização em braile.

A profissional da educação também valorizou a classificação de Guarapuava para a disputa do Prêmio Nacional de Inovação. “Vemos nossa cidade manifestando um protagonismo quando o assunto é inovação, com o parque tecnológico, com um bairro inteligente, e todos os esforços públicos e privados que têm sido feitos para realmente mudar as características de Guarapuava com investimento em inovação”, finalizou Moana.

Quer ficar por dentro das principais notícias sobre tecnologia e inovação? Inscreva-se em nossa NEWSLETTER SEMANAL

Artigos relacionados

0 respostas para “Guarapuava é semifinalista no Prêmio Nacional de Inovação”

Deixe uma resposta