Menu Busca

Mídia e Meios

Bicho do Paraná ganha nova edição na RPC

A campanha que marcou toda uma geração volta ao ar com estratégia multicanal e promete emocionar novamente os paranaenses com suas histórias

O projeto Bicho do Paraná, que marcou toda uma geração nos anos 80 e 90, volta às telas da RPC em 2021. O lançamento oficial aconteceu nesta terça-feira (05), durante o Vem aí, um espaço na web para apresentação de novos produtos da RPC.

O Bicho do Paraná é um projeto que dá voz aos paranaenses, resgatando suas memórias e reconhecendo suas conquistas. Uma forma de valorizar a história de esportistas, artistas, músicos, escritores, pesquisadores e de outros destaques do Paraná.

A campanha foi veiculada pela primeira vez em 1985 e ficou no ar durante 10 anos. Agora, as novas gerações também terão oportunidade de conhecer essa ação que marcou época, e, principalmente, algumas das personalidades do estado.

Novos formatos

A nova campanha terá início em novembro de 2021 e duração de um ano. Ao longo desse período, serão contadas as histórias de 48 diferentes personalidades do estado, com inserções em toda a programação. Uma cota do projeto está disponível para o mercado.

Além dos VTs que ficaram consagrados na televisão, agora o projeto  vai contar com uma estratégia multicanal.  Na TV terão novos formatos, como programetes, manifestos, ação comercial e break temático, além de um programa especial.

Na web, o universo do bicho se expande com conteúdos extras, informes, curiosidades, segredos e receitas que fazem parte da vida das estrelas paranaenses. Post nas redes sociais e ativações on-line e offline também fazem parte do plano de mídia.

 

“Não é apenas um projeto comercial, é um projeto institucional com muito conteúdo. Vai estabelecer conexões e mexer com a memória afetiva de todo mundo. Vamos reviver com orgulho uma campanha que foi sucesso na RPC e que se tornou parte da história da comunicação e da publicidade paranaenses”, destaca o diretor comercial da RPC Curitiba e mercado nacional, Rodrigo Libório. 

Parceria com o Banco Bari

Em seu lançamento, o projeto já conta com um parceiro que também é um Bicho do Paraná. Oriundo do Grupo Barigui, que tem atuação forte no mercado de automóveis na região sul, sobretudo no Paraná, o Banco Bari tem 25 anos de história.

Nos últimos dois anos, a empresa investiu fortemente no banco digital. E, por mais que tenha  atuação nacional, quer se aproximar ainda mais dos paranaenses. Reforçar sua origem e conexão com o estado. Para Ricardo Sanfelice, chief marketing & digital officer do Banco Bari, o Bicho do Paraná chegou em um momento oportuno.

“Somos um banco nacional, mas temos muito orgulho das nossas origens. O projeto chegou em um momento em que estamos fortalecendo nossa operação digital. A exposição de mídia, volume  e qualidade das entregas, com planos em todos os horários e cobertura na grade nos permite falar com todos os públicos, não só com o nosso target. A proposta multimídia e ativação em outros meios veio ao encontro do que estamos buscando enquanto marca”, pontua Sanfelice.

Conectando histórias

A agência Greenz, que atende o banco Bari, estava em busca de um projeto que conectasse a história do banco, que está presente na vida das pessoas, e, ao mesmo tempo, pudesse reforçar que o Bari faz parte de um grupo paranaense, que hoje está crescendo país afora.

Quando a agência soube que a RPC iria trazer de volta o projeto Bicho do Paraná, teve certeza de que esse projeto teria muito em comum com o banco Bari no que se refere à exaltação da alma paranaense.

Eu, como paranaense que sou, tenho uma recordação muito positiva do projeto Bicho do Paraná. Essa ação sempre se conectou pessoalmente muito comigo e com o meu orgulho de ser paranaense. Estamos muito felizes em poder construir essa nova fase do Bicho do Paraná com uma nova marca, mais contemporânea, como é o Banco Bari –  Fábio Meneghati, CEO da Greenz. 

Origem do Bicho do Paraná

Quem acompanhou a RPC entre as décadas de 1980 e 1990 deve lembrar dos vídeos apresentando paranaenses que se destacaram em suas áreas. Os primeiros VTs começavam com uma apresentação e na sequência a revelação de que aquela personalidade era um “bicho do paraná”. A imagem era cortada para uma paisagem com pinheiros, onde o músico João Lopes aparecia com seu violão cantando a canção que emprestou o nome ao projeto.

O cantor e compositor João Lopes em uma das versões da campanha Bicho do Paraná.

O cantor e compositor João Lopes nasceu no município de Califórnia no norte do Paraná. Em seu primeiro disco, lançado em 1981, foi gravada a música Bicho do Paraná. Com seus versos exaltando a terra paranaense, a canção virou uma espécie de hino não oficial do estado e foi escolhida como trilha para a campanha.

Mercado publicitário

A combinação deu tão certo que marcou o mercado publicitário na época. O paulista Renato Cavalher, head of creative strategy da OpusMúltipla, relembra que conheceu a campanha quando chegou em Curitiba, em 1991. “Conheci personagens e histórias de paranaenses fantásticos pelas lentes do projeto. Elaborado pela Umuarama, house agency do Banco Bamerindus, que não deixava nada a desejar em termos de criatividade para as agências paulistas”, conta.

Uma das campanhas do Bicho do Paraná criada em parceria pela RPC, Banco Bamerindus e Agência Umuarama.

“A campanha teve uma grande repercussão porque valorizou o talento e o empreendedorismo dos paranaenses. Foi aí que entendi por que o Bamerindus cresceu tanto e se transformou num dos maiores bancos do país. Porque soube respeitar as suas raízes e valorizar sua origem e sua terra. Acredito que a volta do Bicho do Paraná na RPC vai dar continuidade a essas histórias de paranaenses que rompem fronteiras e se projetam para o Brasil e para o mundo. Será um prazer conhecer esses novos personagens”, comenta Cavalher.

Quer saber mais sobre o Bicho do Paraná? O projeto completo está disponível em vemai.rpc.com.br

 

Artigos relacionados

0 respostas para “Bicho do Paraná ganha nova edição na RPC”

Deixe uma resposta