Menu Busca

Mídia e Meios

Como a combinação TV + web potencializa campanhas

De um lado, a mídia com maior alcance de massa: a TV. Do outro, a internet. O que elas têm em comum? As duas falam com o seu consumidor. Juntas, TV e web podem tornar as campanhas mais completas, aumentar a lembrança de marca e incrementar os resultados. Silvana Pazin, diretora de mídia de grupo de contas da OpusMúltipla, conta o que é importante na hora de planejar sua comunicação.

O que define uma boa campanha de comunicação? Criatividade, arte e  um bom planejamento de mídia, com ações segmentadas para públicos específicos. A TV pode ser o ponto de partida para conseguir um grande alcance. Somada a ações digitais, torna a presença da sua marca ainda mais abrangente.

Qual é a melhor estratégia para o seu negócio? Quais formatos você pode utilizar? Conversamos com Silvana Pazin, diretora de mídia de grupo de contas da OpusMúltipla; para descobrir pontos importantes sobre o tema.

Publicidade a um clique: tendência para ficar de olho

Com consumidores cada vez mais conectados, a relação entre público e marcas já mudou muito – e deve mudar ainda mais. Relembre a matéria “Mindset total: marcas e consumidores nunca estiveram tão próximos”.

Neste novo cenário da comunicação, o conteúdo de uma campanha é o que vai fazer a diferença. Seja para um comercial de ofertas ou para fortalecimento de marcas, o caminho é o mesmo: levar ao público aquilo que ele precisa, na hora em que precisa.

Silvana Pazin acredita que esta é uma tendência importante para todas as mídias: “A tendência é trabalhar o consumidor na diversidade de canais aos quais ele está exposto, levando valor agregado. Os consumidores querem que as marcas resolvam algum problema que eles têm, o que estão chamando de JTBD (job to be done). A utilização de canais de comunicação que tragam informação com sua marca contextualizada, além de pensar nas múltiplas telas que o consumidor está sendo impactado, são tendências. Por isso o conteúdo é tão relevante”, explica.

Cauda longa: guarde este nome!

“Enquanto a TV atinge a grande massa, o digital contribui para impactar o público que está fragmentado em outras áreas de interesse. É o que chamamos de cauda longa. Quando integramos o conteúdo digital, ampliamos ainda mais a visibilidade proporcionada pela TV, com impactos qualificados e direcionados a públicos mais específicos”, detalha Silvana Pazin.

O termo cauda longa vem do inglês long tail e tem relação direta com os resultados obtidos pela segmentação de um produto, conteúdo ou serviço na internet. É possível mensurar cada passo da jornada de compra: da busca específica por uma marca ao impacto gerado por campanhas mais abrangentes; origem da audiência; visualizações, interesse pelo produto, efetivação da compra…

A integração entre TV e digital conta com vários formatos diferentes para potencializar uma campanha. Você certamente já foi “fisgado” por um comercial de TV e buscou informações sobre o produto na internet. Ou fez o caminho inverso: reconheceu na telinha uma marca que já conhecia pela web.

Leia as matérias que detalham melhor estas ações:

Marca de cosméticos entra na novela com formato de merchandising diferenciado

Planejamento de mídia: marketing de conteúdo e display entram na jogada

Como escolher as mídias digitais de uma campanha?

Em estudo feito pela britânica Reuters, 54% dos entrevistados sinalizaram que são mais propensos a notar anúncios em sites de notícias confiáveis. Leia a matéria completa aqui. A escolha, portanto, deve ser pautada pela credibilidade.

O investimento em TV – que é o responsável pela maior parte da verba publicitária – pode ser complementado com veiculações em sites que têm a confiança dos internautas.

“O formato vai depender muito da campanha. Se for uma campanha de visibilidade, podemos ampliar os impactos através da segunda tela, utilizando banners, diárias e formatos de grande visibilidade. Se estamos trabalhando um conceito diferenciado, o branded content traz opções para inserir a marca em conteúdos relevantes ao público-alvo – com isso aumentamos o nível de atenção”, conta Silvana.

Para Camila Leite, analista de marketing aqui da RPC e responsável pelo mercado internet, a integração entre vários formatos é obrigatória para o desenvolvimento de campanhas mais assertivas.

Somente dentro do G1 Paraná há um portfólio de produtos bastante variado, que inclui vários formatos de mídia display, box, matérias publicitárias, Native Ads – além da inclusão de vídeos publicitários nos conteúdos do portal.

Tudo isso complementando estratégias de comunicação de TV, como explica Camila: ” É mandatório! TV e internet já são os principais meios de comunicação utilizados pelos brasileiros (nessa ordem), mas já não falamos mais em telespectador e internauta. O consumidor é o mesmo. Com uma rotina mais dinâmica, é preciso prever a jornada do consumidor e e impactá-lo em diversos momentos do seu dia a dia, seja diante de um aparelho de TV ou na palma da mão por meio do smartphone. Utilizar o que há de melhor nas duas mídias é uma forma eficaz de ganhar espaço na mente destes consumidores”, finaliza.

Vamos juntos pensar em boas campanhas de comunicação? #DeOlhoNoMercadoRPC

Artigos relacionados

0 respostas para “Como a combinação TV + web potencializa campanhas”

Deixe uma resposta