Menu Busca

Mídia e Meios

Credibilidade da informação: sucesso ou risco para os negócios

Levantamento feito pela britânica Reuters.com aponta como anda a credibilidade dos internautas em relação às notícias. Conhecer o comportamento da audiência de um veículo é fundamental para fazer sua marca ganhar a confiança dos consumidores. Sérgio Tavares Filho, Coordenador do G1 Paraná, conta como o bom trabalho jornalístico contribui para este processo; e Gustavo Bizelli, da Diferencial Pesquisas, destaca a importância de investir em pesquisas de qualidade.

Fake news. Em português, notícia falsa. De pequenos boatos a grandes notícias veiculadas na mídia internacional, as informações viralizam na internet com apenas um clique. O mercado da comunicação enfrenta os desafios deste cenário: uma pesquisa global feita pela agência Reuters.com apontou que os consumidores de notícias estão cada vez mais receosos, preocupados em confirmar a veracidade das informações.

Para as marcas, é hora de se posicionar. Investir em veículos de credibilidade que compartilham bons índices de confiança junto ao público pode fazer toda a diferença para uma campanha de comunicação.

Checagem de informações é prioridade para os leitores

O hábito de checar uma notícia assim que ela é divulgada já faz parte da rotina dos internautas. Segundo o levantamento da Reuters, 74% das pessoas buscam a confirmação de notícias em portais nos quais confiam – destas, 54% verificam múltiplas fontes.

Sérgio Tavares Filho, Coordenador do G1 Paraná, conta que a credibilidade da informação é premissa básica do trabalho jornalístico do portal: “Nossos jornalistas sempre utilizam fontes corretas para levar informação com qualidade ao internauta. Um exemplo: não publicamos informações em off – quando a fonte não quer se pronunciar oficialmente. Mesmo depois de uma boa apuração, seguimos este protocolo. Para consolidar notícias, usamos dados auditados por institutos, universidades, empresas reconhecidas no mercado, colégios, secretarias e bons assessores de imprensa”, detalha Tavares.

Se de um lado a onda de fake news alterou hábitos de consumo de informação, do outro, reforçou a importância do profissionalismo jornalístico e do investimento constante em pesquisa e apuração de dados. “Os veículos jornalísticos dependem cada dia mais de apurações bem feitas e textos de qualidade. A credibilidade do G1 só demonstra que estamos no caminho certo. Temos como lema levar a informação precisa, com a velocidade que a internet necessita”, destaca o Coordenador do G1 Paraná.

Por que as pesquisas são importantes neste cenário?

Afinal, como as fake news podem afetar uma marca? O que é preciso saber sobre um veículo antes de anunciar? O segredo está na qualidade da audiência – e o acesso a este indicador é facilitado por meio de pesquisas aprofundadas de mercado, hábitos e comportamento do consumidor.

Gustavo Bizelli, sócio-diretor da Diferencial Pesquisa, destaca a importância de investir em pesquisas consistentes antes de fundamentar qualquer estratégia de comunicação. “Muitas empresas acreditam que, por terem uma boa audiência na internet, podem desenvolver suas próprias pesquisas. Há uma grande diferença entre uma enquete dentro de um site e uma pesquisa feita por especialistas. A enquete pode mostrar o que os leitores de uma notícia pensam sobre um assunto específico. Mas quem tem o controle sobre as respostas é o leitor, não a marca”, exemplifica.

Bizelli explica que as enquetes de internet não têm validade científica e podem comprometer a eficácia no lançamento de um produto, comprometer campanhas inteiras e trazer resultados muito abaixo do previsto.

O sócio-diretor da Diferencial Pesquisas reforça que é preciso ter cuidado com o uso de dados extraídos da internet: “Dados de navegação e jornada de consumo são absolutamente úteis e hoje é muito fácil ter acesso a eles. Mas é fundamental combiná-los com pesquisas qualitativas, feitas também no universo off-line, para conseguir traçar perfis de consumo, identificar hábitos e ser mais assertivo em campanhas de comunicação”, finaliza.

Confira mais alguns dados do levantamento da Reuters.com

 Atenção, empresário do Paraná: entramos no segundo semestre. É hora de começar a organizar seu planejamento de negócios para 2018.  Ter informação de credibilidade, acesso a pesquisas e indicadores é essencial para a longevidade dos negócios. É como uma bússola! Vamos ficar de olho.

Vamos juntos investir em credibilidade? #DeOlhoNoMercadoRPC

Artigos relacionados

0 respostas para “Credibilidade da informação: sucesso ou risco para os negócios”

Deixe uma resposta