Menu Busca

Mídia e Meios

Por onde anda seu consumidor? Dicas para achar o mapa da mina

O consumidor da sua marca pode estar bem perto neste exato momento. Você sabe como, onde e por quê? Identificar os pontos de contato com seu público é fundamental para entender a jornada do consumidor. Hoje explicamos um pouco sobre este assunto, com dicas de profissionais da área. Eles nos ajudam a entender o "caminho das pedras" para identificar quem são as pessoas que se interessam pela marca, falar com elas e (claro!) torná-las fiéis aos seus produtos. Vamos juntos!

Você já deve ter ouvido falar do consumidor omni-channel. Mais do que estar em vários canais, este consumidor mudou a relação de compra e venda: as marcas precisam ficar atentas a todos os pontos de contato com seu público, criando experiências de marca que podem levar ao consumo. O foco do marketing deixou de ser a venda pura: a ordem agora é gerar interesse pela marca!

No estudo “The Omnichannel Advantage” realizado pela empresa americana Fluent, ficam claras as diversas vantagens da comunicação omni-channel, inserindo a marca em multi canais, do online ao offline.  Os dados apontam que mais de 50% dos entrevistados interagem com suas marcas favoritas em 10 ou mais canais diferentes e realizam compras nessas lojas pelo menos uma vez por semana. Dentre os canais destacados estão a televisão, redes sociais, anúncios na internet e materiais offline. Como estar em todos esses canais? Vamos juntos descobrir, começando pela definição de jornada do consumidor!

Como a jornada do consumidor funciona na prática?

Um anúncio pode impactar seu consumidor num primeiro momento,  mas talvez ele ainda não saiba que precisa de determinado produto ou serviço. Se ele já está em busca de algo, a comunicação vai atingi-lo de outra forma. Como identificar a fase da jornada em que seu público está – e falar com ele de forma assertiva? É possível identificar 4 fases da jornada de compra, como nos explica Keity Marques.

Antes do consumidor decidir pela compra, há algumas fases que precisam ser compreendidas pelas marcas
Antes do consumidor decidir pela compra, há algumas fases que precisam ser compreendidas pelas marcas

1. Aprendizado e descoberta

Nesse primeiro momento, a pessoa ainda não identificou a necessidade de comprar seu produto. Começar com um conteúdo leve sobre seu serviço é uma boa estratégia. Por exemplo, caso sua loja venda tênis de corrida, comece apresentando os benefícios que a corrida traz para a saúde e como este esporte pode ser prazeroso.

2. Reconhecimento do problema

Agora que o seu público já descobriu uma nova necessidade, ele vai se interessar ainda mais pelo assunto e buscará novas informações. Isso significa que é a hora da sua marca se mostrar como referência e especialista desta área no mercado. Transmitir segurança é o ponto chave.

3. Consideração da solução

A partir do momento que o público entende que existe uma nova necessidade, ele vai começar a considerar a solução que você o apresenta. O momento de começar a apresentar seu produto chegou! Esta é a fase mais delicada do processo, aqui sua marca se consolida como  referência no ramo em que atua.

4. Decisão de compra

Aqui, o comportamento da marca é decisivo. É importante que sua equipe de  vendas esteja alinhada com a estratégia da marca, para garantir a boa experiência do consumidor na loja física ou mesmo no retorno de orçamentos e contatos. Durante o andamento da campanha, outro ponto crucial é o acompanhamento e mensuração dos resultados – se possível diariamente. Caso algo não saia como planejado, há tempo para rever a estratégia.

Onde tudo começa: planejamento

Agora que já entendemos as diferentes fases que existem entre querer um produto e efetivamente comprá-lo, vamos falar com profissionais da comunicação para entender: como e quando posicionar uma marca neste processo?  Conversamos com especialistas em mídia que destacaram pontos de atenção no planejamento.

Personas! Por Keity Marques, especialista em automação

RPC-Keity-Jornada consumo
Keity Marques aconselha investir em definição de personas para obter melhores resultados

Garantir que o cliente tenha uma boa experiência com a sua marca é um dos principais pilares do planejamento. Proporcionar um bom atendimento antes, durante e depois da venda garante a fidelização do consumidor. Mas para relacionar-se com ele em todos este momentos, as marcas precisam responder uma pergunta: “quem é meu consumidor?”. Isto é o que Keity Marques, especialista em automação de marketing, constatou através de estudos e experiência de mercado. “Antes mesmo do planejamento, a marca precisa entender com quem está falando. Definir suas personas é o primeiro passo para obter os melhores resultados”, completa.  “Pode ser que o seu público ainda não esteja pronto para comprar seu produto ou serviço, por isso você precisa apresentar a necessidade a ele, antes de vender seu peixe”, afirma Keity.

É importante ter em mente que não existe apenas um público potencial, já que um mesmo produto ou serviço atinge diferentes personas. Há várias técnicas que ajudam a descobrir quem são as suas personas: pesquisa de mercado, pesquisas online e – a mais valiosa!- falar com seus atuais clientes.  Entreviste-os! Descubra pontos fortes e fracos da sua marca. Como ela os ajudou? O que poderia melhorar? Quais são suas expectativas e necessidades?

Pesquisas, estudos e conhecimento técnico. Por Marcos Leite, da Giacometti Comunicação

Marcos Leite: "não há espaço para amadorismo. É preciso ter informação confiável e saber usá-la"
Marcos Leite: “não há espaço para amadorismo. É preciso ter informação confiável e saber usá-la”

O maior desafio das marcas atualmente envolve compreender a melhor forma de se comunicar com o consumidor. Essas pessoas recebem estímulos de diversas fontes: TV, jornal, internet, anúncios e por aí vai. Para Marcos Leite, diretor de operações da Giacometti Comunicação em Londrina, há muita informação e pouca estratégia. Segundo Leite, a realidade da marca precisa ser avaliada profundamente, de forma técnica e científica. “A presença de uma equipe técnica e especializada é fundamental para definir públicos e planejamento de mídia, através de pesquisas de mercado e muito conhecimento do assunto. Não tem espaço para amadorismo”, afirma.

Pesquisas  são importantes para definir a melhor estratégia de mídia a ser utilizada. Algumas pessoas acreditam que estar em apenas um canal é o suficiente, outras optam pelo caminho oposto, buscam estar em todos os lugares possíveis.  Mas tudo depende do investimento disponível, dos objetivos da marca e também do seu público. Vale a pena testar o rendimento das campanhas em diferentes mídias e analisar resultados. Em muitos casos as mídias se complementam, mas principalmente: a comunicação entre elas precisa estar alinhada e em sintonia. “O resultado das ações está atrelado a todo esse conjunto de estratégias: fundamento técnico, pesquisas e informação assertiva”, finaliza.

Investir nos canais certos. Por Patrícia Ramalho, da Agência Studio B

Patrícia Ramalho destaca a importância de otimizar uso da verba de mídia
Patrícia Ramalho destaca a importância de otimizar uso da verba de mídia

A crise afeta o poder de compra do brasileiro, mas o consumo ainda existe. O que mudou no cenário atual: há uma busca maior por economia e por melhores relações custo X benefício.  “O departamento de mídia deve investir nos canais que melhor falam com o seu público para atingir bons resultados, principalmente no atual momento da economia”, afirma Patrícia Ramalho, gerente de mídia e planejamento na Agência Studio B, na região Noroeste do Paraná. O planejamento também precisa levar em consideração que cada público capta a mensagem de uma forma. Por isso, as marcas precisam pensar em canais e campanhas diferentes para vender um mesmo produto ou serviço. Isto é ser omni-channel!

Artigos relacionados

0 respostas para “Por onde anda seu consumidor? Dicas para achar o mapa da mina”

Deixe uma resposta