Menu Busca

Mídia e Meios

Quanto vale um ponto de audiência?

No nosso especial sobre audiência, Daniel Ferrari desvenda um dos grandes "enigmas" dos números do Ibope. Será que hoje a audiência é maior ou menor do que era há 10 anos? Tem mais gente assistindo à TV? Qual é o cenário aqui no Paraná? Nosso especialista em audiência explica. Vamos juntos descobrir!

Diante das oscilações comuns e instantâneas nos índices de audiência, sempre me perguntam: “quanto vale 1 ponto de audiência”? A resposta é sempre a mesma: cada ponto representa 1% do universo medido.

Uma vez entendido este conceito, começamos a fazer as contas. Os pontos de audiência, medidos pelo Ibope (entenda como isso é feito), podem ser pontos de audiência domiciliar e audiência individual. Mas a resposta é sempre a mesma: um ponto é igual a 1% do universo.

E qual é este universo hoje?

O tamanho da população na Grande Curitiba em 2017 é de 1.138.763 domicílios e 3.054.416 pessoas, de acordo com os dados projetados pela Kantar Ibope.  Isso quer dizer que cada ponto de audiência domiciliar representa 11.387 domicílios e 1 ponto de audiência individual representa 30.544 pessoas.

Em 2007, cada ponto domiciliar representava 8.541 domicílios e 26.697 pessoas. Então, hoje, agosto de 2017, cada ponto de audiência vale 33,3% a mais do que valia 10 anos atrás e 62,8% a mais em comparação a 2002, ou seja, 15 anos atrás, quando a grande Curitiba tinha 699 mil domicílios representados na amostra do Ibope.

O programa Mais Você, aqui da RPC, registra 7 pontos de média domiciliar em 2017, mesmo índice que registrava em 2002. Em 2006, a média foi de 6 pontos. O índice é estável em pontos de audiência, mas representa crescimento considerando os números de domicílios e pessoas. Sete pontos, em 2002, equivaliam a 45.901 domicílios. Seis pontos, em 2007, representavam 52.908 domicílios. E sete pontos, hoje, equivalem a 82.283 domicílios. Em uma comparação direta de 2017 com 2002, os 7 pontos do Mais Você hoje valem 79% a mais em relação ao número de domicílios.

Será que esta realidade se reflete em todo o Paraná?

Vamos comparar os números de 15 anos atrás com os de hoje. Dessa forma, índices do 1º semestre de 2002 serão comparados com os números do 1º semestre de 2017, que são os mais atualizados que temos aqui na RPC, recém-entregues pelo Ibope.

O jornalístico Paraná TV 1ª edição, em Ponta Grossa, tem 57% mais domicílios com os mesmos 33 pontos de audiência de 15 anos atrás. Em 2017, é assistido em 36.579 domicílios, em média, de segunda a sábado. Nesta comparação foram usados dados do 1º semestre de 2002 e do 1º semestre de 2017.

Em Guarapuava, o Paraná TV 2ª edição, – no ar às 19h20, de segunda a sábado – pode ter seus índices influenciados pela performance de audiência das novelas. Ainda assim, o PTV2 de Guarapuava registra média de 39 pontos de audiência em 2017. Em 2002,  registrava 42 pontos. Isso demonstra que o programa caiu 3 pontos de audiência domiciliar, mas, com os 39 pontos deste ano, atingimos 20.840 domicílios, 43% a mais do que em 2002.

Em Foz do Iguaçu, o Domingão do Faustão tem 35% mais domicílios com os mesmos 25 pontos de audiência registrados em 2002 e 2017. São 21.665 domicílios em 2017, contra 16.014 domicílios em 2002.

Vamos falar sobre audiência de novelas?

Começamos com a novela das seis, que chamamos de novela I. Cinco anos atrás, Paranavaí  registrava 45 pontos no 1º semestre, com a exibição de Amor Eterno Amor,  cuja trama permeava o desejo do reencontro e a crença em vidas passadas.

A novela atual, Novo Mundo – uma aventura romântica ambientada no Brasil do início do século XIX, entre 1817 e 1822 – registra 43 pontos de audiência. Nesse caso, o crescimento de 8 pontos de audiência, nesse horário (12.543 domicílios na frente da TV), representa 45% mais domicílios em relação a 2012.

 

Na praça de Maringá, a novela das sete – ou novela II –  levou ao ar Desejos de Mulher no 1º semestre de 2002. O pano de fundo foi a indústria e o mercado da moda no Brasil, com narrativa centrada na vida de duas irmãs em conflito (personagens de Regina Duarte e Glória Pires). A novela registrou 42 pontos de audiência média, o que representava 33.953 domicílios.

Em abril de 2017, período da pesquisa deste ano em Maringá, a trama no ar era Rock Story – “ uma história de música movida a amor e uma história de amor movida à música”. A novela registrou 37 pontos de média, com 52.365 domicílios. Ainda que tenha registrado 5 pontos a menos que Desejos de Mulher, Rock Story conseguiu audiência em 18 mil domicílios a mais do que o título anterior.

 

Para terminar o giro das praças, em Londrina, em 2017, a novela das 7, Pega-Pega, cresceu 2 pontos de audiência em relação a Cheias de Charme, de 2012. Esse dado representa 13.438 domicílios a mais, consolidando um crescimento de 24,7% e totalizando 67.869 domicílios, em 2017.

Os programas acima são líderes de audiência na RPC e, como vimos, 1 ponto de audiência em 2017 vale muito mais do que 1 ponto de audiência valia, cerca de 5 , 10 ou 15 anos atrás, mas continua representando 1% do universo medido.

Fonte: Kantar Ibope MW – dados consolidados (Curitiba, Ponta Grossa, Guarapuava, Foz do Iguaçu, Cascavel, Paranavaí, Maringá, Londrina)

Daniel Ferrari – Coordenador de Comunicação e Pesquisa da RPC

O Daniel já teve passagem pela TV Globo no Rio de Janeiro, na área de Análise e Controle de Qualidade da Programação; pelo marketing da TV Diário de Mogi das Cruzes e TV Tem em São José do Rio Preto, afiliadas Globo no interior de São Paulo. É jornalista e publicitário, com MBA em Comunicação com o Mercado, estuda estatística e vive fazendo cursos de pesquisa no Brasil e no exterior. Gosta do que faz!

Artigos relacionados

2 respostas para “Quanto vale um ponto de audiência?”

  1. Caroline Carvalho Bueno says:

    Informações extremamente relevantes na avaliação do alcance do meio TV. Parabéns ao Daniel por ter traduzido de forma simples uma métrica tão importante.

Deixe uma resposta