Menu Busca

Economia e Setores

A comunicação como ferramenta para o setor de agronegócios

Mesmo diante da crise econômica, agronegócio brasileiro mantém crescimento estável. Este e outros temas foram discutidos na Feira de Eventos e Projetos Regionais da Globo

A Feira de Eventos e Projetos Regionais da Globo, realizada nos dias 16 e 17 de junho, mobilizou as 123 filiais da emissora em torno de palestras e seminários sobre diversos temas, entre eles o agronegócio brasileiro, setor que, mesmo diante da crise econômica, mantém seu crescimento e colabora para a estabilidade dos cofres públicos.

O agronegócio – segmento que reúne a produtividade da cadeia agropecuária – representa 25% do PIB brasileiro e 4% do mundial. No topo da lista dos setores mais produtivos, o agronegócio cresceu 20,6% nos últimos anos e tem uma projeção de 40% de crescimento para 2020, muito acima das expectativas de outros países, como Estados Unidos (13%), Canadá (12%) e União Europeia (4%).

Agronegócio: segmento é um dos pilares da economia brasileira
Agronegócio: segmento é um dos pilares da economia brasileira

No Brasil, o segmento iniciou 2015 com um aumento de 0,13% de sua produção e rendeu U$ 7,07 bilhões, maior êxito econômico deste ano assolado pela crise financeira. Líder mundial no cultivo de açúcar, etanol, soja, arroz, café e carne bovina, para citar apenas alguns exemplos, o Brasil exporta 36,3% de sua produção para 180 países, entre eles China, Estados Unidos, Japão, Venezuela, Correia do Sul e Europa. Em 2014, segundo dados do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea), o país conquistou lugar cativo entre os dez maiores produtores e exportadores de grãos e carne do mundo.

fonte: MB Associados
fonte: MB Associados
fonte: MB Associados
fonte: MB Associados

O agronegócio também é responsável por gerar 1/3 dos empregos no país, considerado a mola propulsora da economia brasileira das últimas décadas. Por isso debater, trocar experiências e estimular essa produção são aspectos fundamentais para a manutenção do desenvolvimento do setor. Esta foi a proposta da Feira de Eventos & Projetos Regionais da Globo que, em sua 19ª edição, contou com a participação do jornalista, publicitário e membro fundador do Conselho Efetivo da Associação Brasileira de Marketing Rural e Agronegócios (ABMRA), José Luiz Tejon.

Tejon palestrou sobre O agronegócio e a TV local e demonstrou a interdependência entre o ambiente rural e urbano. Para o palestrante, o agronegócio deve se valer dos conhecimentos e estratégias de marketing aplicado a cooperativas, garantindo o acesso do setor a mercados internacionais e elevando o nível de entendimento e conscientização da população brasileira sobre o próprio consumo e a necessidade de estímulo às produções locais.

Segundo Tejon, ainda que 81% dos brasileiros considerem o agronegócio como propulsor da economia nacional e posicionem os agricultores entre as cinco profissões mais importantes para o desenvolvimento do país, o setor ainda é atrelado a concepções equivocadas, como a responsabilidade pelo desmatamento e pelo uso excessivo de água. É no marketing e na comunicação que estes ruídos encontram uma resolução positiva e uma forma eficiente de inserção competitiva dos produtos rurais no mercado nacional.

Comunicação como peça-chave para posicionamento do agronegócio

Do pequeno produtor até a ponta, agronegócio gera oportunidades para todos
Do pequeno produtor até a ponta, agronegócio gera oportunidades para todos

Um dos objetivos da 19ª Feira de Eventos & Projetos Regionais da Globo foi apresentar oportunidades para as marcas no interior do país, regiões onde o agronegócio é muito forte. O Paraná se destaca neste cenário: segundo dados da Federação da Agricultura do Estado do Paraná (FAEP), nosso estado foi o terceiro no ranking de exportações do agronegócio em 2014, com US$ 12,3 bilhões.

No entanto, ainda é importante fortalecer os negócios localmente, e investir em comunicação é uma estratégia válida para empresas de todos os portes. É preciso valorizar o que o estado tem de melhor para criar vínculo e credibilidade junto a toda a cadeia produtiva, do consumidor final aos parceiros de negócios: uma grande extensão territorial, solo fértil e clima ideal para diversos tipos de plantio. Outros pontos fundamentais que contam a favor do Paraná são os constantes investimentos em desenvolvimento tecnológico do setor e o engajamento de uma vasta gama de profissionais e pesquisadores da área.

As inúmeras vantagens competitivas do nosso estado atraem olhos do mundo todo: o Paraná é um dos maiores produtores mundiais de frango, respondendo por 31% do volume total produzido, segundo dados do IBGE (2014).

Estes dados demonstram não só a relevância do agronegócio para a economia nacional, mas também a importância de se discutir meios de potencializar a comunicação do setor em um estado tão rico e produtivo. A divulgação do agronegócio, do seu impacto na economia e os desafios que enfrenta – trabalho realizado com excelência pelo Globo Rural e outros programas voltados ao universo agropecuário – é essencial na manutenção do agronegócio como um setor forte e estável entre a população do país.

Artigos relacionados

0 respostas para “A comunicação como ferramenta para o setor de agronegócios”

Deixe uma resposta