Menu Busca

Economia e Setores

Londrina, uma cidade em pleno crescimento

Conhecida antigamente como capital do café, a cidade agora se consolida como polo nacional em tecnologia da informação e comunicação

Em 18 de julho de 1975, há 40 anos, a “geada negra” queimou todos os pés de café de Londrina e obrigou os agricultores a erradicarem 100% das plantações devido à destruição no solo da região. A cafeicultura naquele momento era a principal atividade comercial de Londrina, que ficou conhecida como Capital Mundial do Café. A tragédia abalou a estrutura econômica e social da cidade, que precisou reconstruir a sua história e encontrar soluções urgentes para dar novos rumos à economia local.

Apesar das adversidades, a cidade e seus habitantes superaram os obstáculos e hoje Londrina carrega a responsabilidade de ser a segunda cidade do estado com maior Índice de Potencial de Consumo (IPC), a melhor cidade paranaense para investimentos imobiliários, além de ocupar a 18ª posição entre 100 cidades do país melhor conceituadas, em 2015, para despontar no mercado imobiliário brasileiro nos próximos anos.

Londrina tem se destacado no cenário nacional como pólo de desenvolvimento. Para isso, precisou reinventar sua própria história e dar novos rumos à economia local

Mais do que isso: indo na contramão do movimento econômico brasileiro, que tem se retraído nos últimos meses, Londrina tem mostrado que é um grande polo de desenvolvimento. No primeiro trimestre deste ano, foi uma das poucas cidades brasileiras que manteve positiva a balança de geração de empregos. Segundo o Cadastro de Empregados e Desempregados (Caged), Londrina foi a 5ª cidade do país com mais vagas abertas entre janeiro e março deste ano, contabilizando 3.672 novos empregos.

Sinais do desenvolvimento: Londrina subiu no ranking nacional de saneamento

Além disso, segundo dados do Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento (SNIS-2013), divulgados em maio deste ano pelo Instituto Trata Brasil, Londrina é a 4º do ranking com melhor saneamento do país. No ano anterior, no entanto, a cidade ocupava a 13ª posição. Em um ano, com a mobilização da esfera pública e privada para melhorar a qualidade do saneamento básico e distribuição de água, o município teve um salto de desenvolvimento. Como se pode perceber, Londrina tem se consolidado no cenário nacional pelos excelentes índices relacionados ao desenvolvimento humano e saúde, além de ser pioneira na produção de iniciativas criativas no mercado de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC), um dos que mais crescem no país. No Paraná, o índice de crescimento anual do setor chega a 82%.

Aumento da geração de empregos e crescimento da área de tecnologia da informação posicionam Londrina como uma cidade em crescimento

Se no passado os cafeicultores locais reagiram desacreditados à perda da principal fonte de desenvolvimento da região, agora empresários comemoram a sua própria capacidade de reinvenção e descobrem novas oportunidades de crescimento. Para o consultor do Sebrae, Fabrício Bianchi, o salto de desenvolvimento de Londrina nestes 40 anos, que hoje posiciona-se como a segunda maior cidade do Paraná, não foi obra do acaso, mas, sim, fruto de uma grande mobilização coletiva.

“É em épocas de crise que as empresas se dão a chance de repensar o próprio negócio. Muitas vezes, enquanto os negócios estão prosperando e não há abalos no mercado, os empresários apenas repetem a fórmula que há muito tempo já dá certo, sem se questionarem sobre possíveis possibilidades de inovação. Há dois olhares sobre a crise: o que enxerga um problema e o que enxerga uma oportunidade. Se sai melhor quem opta pela segunda opção”, afirma.

Para o consultor do Sebrae Fabricio Bianchi, encontrar oportunidades é o diferencial em tempos de recessão econômica

Londrina, a cidade genial

Com o encerramento do ciclo do café, Londrina precisou descobrir a sua nova vocação. Em 2014, a partir da mobilização da esfera privada com apoio da prefeitura e outros órgãos governamentais, empresários do Arranjo Produtivo Local (APL) em parceria com o Sebrae perceberam que havia um grande nicho mercadológico em ascensão na cidade, mas que não recebia a atenção merecida: o mercado da Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC).

“Londrina já era uma referência em desenvolvimento, só precisávamos encontrar uma forma de mostrar isso. Temos um setor de saúde altamente especializado, a construção civil em nossa cidade não para de crescer. Mais do que isso: temos 1.181 empresas de TI e 17 universidades na região do Arranjo, que produzem conhecimento e têm excelência em pesquisa. Temos a Sercomtel, fomos ainda escolhidos entre cinco mil municípios brasileiros para sediar o Instituto Senai de Tecnologia, primeiro empreendimento Senai do ramo. O que mais falta para entendermos que somos geniais?”, questiona Bianchi.

O lançamento do slogan “Londrina, cidade genial”, ano passado, passou a marcar esta nova fase de produção e transformação tecnológica da cidade. Um dos grandes fatores a contribuir com o desenvolvimento da região é o ISS Tecnológico. “Londrina tem se tornado um local atrativo para investimentos. A lei do ISS Tecnológico, regulamentada em 2011 pela prefeitura, vem confirmar isso: passamos a beneficiar empresas londrinenses, da área de serviços e tecnologia, cedendo parte do fundo monetário que seria recolhido em Imposto Sobre Serviço (ISS) para que os empresários reinvistam em tecnologia”, explica o Diretor de Ciência e Tecnologia, Pedro Granja, da Companhia de Desenvolvimento de Londrina (Codel).

Com a criação do Instituto Senai de Tecnologia, Londrina se posiciona nacionalmente como uma cidade que busca inovação em tecnologia

Os valores cedidos podem ser usados para aquisição de equipamentos e capacitação profissional, mas a empresa que deseja receber os recursos precisa estar instalada em Londrina há, no mínimo, seis meses.  Além disso, as empresas que forem contempladas podem conseguir abater entre 10% e 40% do valor do Imposto Sobre Serviços (ISS) deduzido nos últimos 12 meses. Após a aprovação do projeto, a empresa tem o prazo de um ano para utilizar os recursos. Em 2014, cerca de R$ 500 mil reais foram utilizados do fundo do ISS Tecnológico por 14 empresas que tiveram seus projetos aprovados.

Com isso, a cidade incentiva a geração de empregos, o aumento da competitividade das empresas e o desenvolvimento tecnológico municipal. O programa quer aumentar a competitividade por meio da inovação não somente com aquisição de soluções em Tecnologia da Informação (TI). “O programa deixa de ter um viés regional. Os projetos submetidos estão ligados à tecnologia da informação, mas essa área tem uma transversalidade grande: empresas de quaisquer ramos precisam de tecnologia para se desenvolver, até mesmo o agronegócio. O ISS Tecnológico é inovador porque dá mobilidade para as empresas crescerem de forma sustentável, reinvestindo valores. É uma forma de apoiar a economia local. Um empresário que pensa hoje em abrir uma empresa já coloca Londrina em sua rota de possibilidades porque sabe que aqui vamos apoiá-lo, pois terá incentivos fiscais muito atrativos”, finaliza Bianchi.

Artigos relacionados

2 respostas para “Londrina, uma cidade em pleno crescimento”

  1. José orlando bento says:

    Parabéns ao povo de Londrina, um exemplo para o Brasil. Sò a educação ,o trabalho, invocação tecnológica, e a força de um povo tem a capacidade de superar crises e mudar um país tão complexo e multirracial como o Brasil. Comparo Londrina com a querida cidade ANANINDEUA no Pará ; pelo número de habitantes, todavia, São díspares em desenvolvimento, não por culpa daqueles bravos paraenses, mas, por falta de investimento e omissão principalmente do governo central. O povo de Londrina serve incentivo em acreditar no Brasil que dá certo. Professor José orlando.

  2. Giovana Medri says:

    Olá. Poderia me informar a origem desses dados e o autor da matéria? Preciso referenciar em um trabalho. Obrigada!

Deixe uma resposta