Menu Busca

Economia e Setores

Mercado de luxo apresenta crescimento mesmo em tempos de recessão

Ano de crise, retração econômica, alta do dólar: como está o mercado de luxo diante deste cenário? Vai bem!

Não faz muito tempo desde que Curitiba entrou para a rota do mercado de luxo. E, surpreendentemente, mesmo em tempos de recessão econômica e apreensão por parte dos consumidores, a cidade apresenta crescimento na área.

De acordo com estudos da empresa MCF Consultoria em parceria com a alemã Gfk, Curitiba ficou como a segunda capital mais promissora – tanto para os que empreendem, como para os que consomem marcas internacionais e serviços estilo premium – ficando atrás somente de Brasília.

Aliás, não somente aqui. Ao contrário dos demais setores, a procura pelos serviços de alto padrão no Brasil não aparenta se afetar pela temida crise. Com a presença de 60% das marcas internacionais do segmento e crescimento de 13,2% entre 2012 e 2013, o mercado de luxo apresenta um faturamento anual de R$ 20,6 bilhões anuais no país.

Hoje, um dos motivos é a alta do dólar, que até pode ser vista como uma grande oportunidade de atingir este público. Afinal, a cautela também está presente neste perfil de consumidor, mesmo provido de alta renda. Os que antes costumavam sair do país para fazer suas compras agora encontram no Brasil as mesmas grifes de luxo. Assim, vai compensar adquirir os mesmos itens aqui no país. Ou seja, o potencial de compra não diminuiu diante da crise, mas o comportamento do cliente e seus hábitos de consumo se alteraram.

 

Brasil será um dos países com maior número de novos milionários

Além do público fiel, ainda há aqueles que pela primeira vez se vêem na posição de consumir tais serviços. Dados do Credit Suisse apontam que até 2016 o Brasil e a África do Sul serão os países com o maior número de novos milionários. Desde 2013, a cada 27 minutos um brasileiro conquista seu primeiro milhão e junto com ele vem o desejo por bens mais exclusivos. A intenção de consumo desse segmento aumentou consideravelmente entre 2014 e 2015. No ano passado, a pesquisa da PwC intitulada Total Retail Survey identificou que 12% dos entrevistados que nunca compraram bens sofisticados pretendiam adquirir um pela primeira vez. Neste ano, este número subiu para 16%, enquanto o número daqueles que não possuem interesse em grifes diminuiu de 55% para 37%.

 

Restaurantes mudam o foco para atingir mercado exclusivo

luxo restaurantes

Enquanto os lojistas do mercado de luxo celebram, alguns restaurantes mais sofisticados se esforçam para sobreviver no Paraná. Mudar de nome, chef, gestão ou cardápio nem sempre resolve a conta no fim do mês. A solução para muitos foi ceder e deixar de atender regularmente para trabalhar apenas com eventos, seguindo a onda do atendimento exclusivo e garantindo melhores resultados.

Na capital, o Bistrô Duchamp e o Carmina Bistrô anunciaram neste ano serviços de atendimento focados em eventos particulares, com toda a atenção voltada às preferências do cliente. Com este tipo de gastronomia exclusiva, os estabelecimentos não só se aproximam da dinâmica do mercado de luxo, apostando naqueles que buscam algo com teor diferencial e objetivo, como também garantem o  bom funcionamento.

 

Artigos relacionados

0 respostas para “Mercado de luxo apresenta crescimento mesmo em tempos de recessão”

Deixe uma resposta