Menu Busca

Marketing e Comunicação

Solta o som! Como escolher uma música para o seu comercial?

Apostar em músicas comerciais já preenchidas de significados para narrar a jornada da sua marca pode ser um tiro certeiro no engajamento com o cliente. Conversamos com Alexandre Silveira, diretor de criação da agência Bronx; e Jair de Oliveira, da produtora S de Samba - eles contam como uma música já conhecida pode fazer toda a diferença em um comercial.

Existem inúmeras estratégias que podem ajudar uma marca a se conectar emocionalmente com o consumidor. No entanto, poucas conseguem oferecer tanto engajamento como narrar a jornada da sua empresa ao som de uma boa trilha sonora. A música é um instrumento que conduz o público com leveza, sem precisar forçar o discurso do consumo.

E, claro, não é à toa que as empresas estão, hoje, lutando para entrar no mundo afetivo do seu consumidor. A associação emocional tem o poder de transcender os significados da marca, criar conexões de fidelidade, consolidando a sua identidade no mercado. E o resultado disso tudo já se sabe: aumento nas vendas. Já parou para pensar se a sua marca tem um som especial que a represente?

O som que vai definir a sua marca

Jair Oliveira, da produtora S de Samba, explica sobre o processo de compra de canções para comerciais
Jair Oliveira, da produtora S de Samba, explica sobre o processo de compra de canções para comerciais – e também destaca o apelo afetivo que provocam. “Afinidade do público com a canção já dá abertura para a mensagem”,  destaca o músico e produtor

Existem várias formas de utilizar a música para se conectar com o consumidor: por meio de campanhas publicitárias, em que um jingle ou uma música comercial já existente apresenta o conceito da empresa aliado a um vídeo; sound logo, quando a marca se apresenta por meio de um símbolo sonoro exclusivo, com curta duração; ou por meio da técnica de marketing chamada de music branding, que roteiriza a experiência de compra já no ponto de venda.

Todas estas estratégias são eficazes e altamente relevantes para engajar o público, mas, por enquanto, vamos pensar naquela com maior impacto a curto prazo: a utilização de uma música-conceito que já está no mundo afetivo do seu consumidor e que é inserida em uma campanha publicitária. Quando a marca decide veicular uma campanha em vídeo, a primeira etapa, nos conta Alexandre Silveira, diretor de criação da agência curitibana Bronx, é definir qual será o conceito principal. Depois, com o conceito em mãos, é feita a busca por uma canção que revele este mote.

“Tempo, tempo mano velho, falta um tanto ainda eu sei pra você correr macio…”

Lembra dessa música? Foi a canção escolhida pelo Banco do Brasil há alguns anos para compor a campanha de divulgação do site da estatal. Ao fim, a mensagem dizia: “faça as pazes com seu tempo”. O banco acertou em cheio ao divulgar a sua versão online mostrando ao público que o tempo do seu cliente é precioso. Entendeu como a música e o conceito de marca se encaixaram?

Vale a pena utilizar uma música conhecida do público, conta Jair Oliveira, dono da produtora S de Samba, quando já existe um “recall” afetivo em relação à música escolhida. “A afinidade do público com a canção já dá abertura para a mensagem que estará junto dela”, acredita. Para colocar uma música famosa em um comercial, será preciso conseguir autorização de todos os autores envolvidos com aquela obra: o compositor; a editora – se for a detentora dos direitos autorais -;  o cantor, se a voz que fez a música conhecida for utilizada, por exemplo. “O valor a ser pago vai ser definido por três variáveis: tempo, mídia e a extensão do território em que será veiculada. Funciona do mesmo jeito quando uma empresa quer usar a imagem de um artista em uma campanha de outdoor, por exemplo”, explica Jair Oliveira.

Alexandre Silveira, diretor de criação da Bronx: "uma música conhecida pode criar um laço imediato com o público"
Alexandre Silveira, diretor de criação da Bronx: “uma música conhecida pode criar um laço imediato com o público”

Algumas marcas, quando decidem usar uma canção já conhecida, fazem pequenas alterações na letra para criar rimas ou inserir palavras associadas à marca na música. “Tudo isso tem que ser previsto em contrato. Se a empresa quer colocar a palavra banco na letra, os envolvidos com os direitos autorais da canção precisam decidir se aprovam este uso. Tem artista que não permite”, conta Oliveira.

A maior vantagem, explica Alexandre Silveira, de usar uma música comercial em detrimento de uma composição original, como um jingle, é que a referência que a marca almeja será quase imediata. “O comercial é lançado e o público já sai cantando. Criar um jingle demora e exige criação intensa… nem sempre as empresas têm tempo para esperar um jingle ´pegar’, é preciso mais tempo de exposição na mídia”, explica Silveira.

Quer se inspirar?

Veja alguns cases especiais que selecionamos e que usaram com muita expertise músicas comerciais para conversar com o público:

Claro + Foo Fighters

RPC Comercial - Som - Claro e Foo Figthers

“A Claro sabe que cada momento é único e tem que ser vivido intensamente”. A mensagem inicial da campanha é lida por um narrador, ao som da música “Times like these”, da  banda Foo Fighters. A canção fala sobre como a vida é um eterno aprendizado e que recomeçar é sempre uma opção. Além do forte apelo emocional, a música é muito conhecida e está na memória afetiva de grande parte da população no mundo! Vídeo aqui.

 

Itaú + Blubell

RPC Comercial - Som - Bluebell e Itau

O Itaú tem trazido às suas campanhas o mote “Isso Muda o Mundo”, reforçando o posicionamento atuante do banco junto ao mundo e à sociedade. Esta campanha utilizou a música “Change the world”, que ficou famosa na voz da artista internacional Blubell. A mensagem da canção é totalmente associada ao conceito da campanha. Vídeo aqui.

 

Nextel + Paralamas do Sucesso

RPC Comercial - Som - Nextel e Paralamas do Sucesso

Nesta campanha, o vocalista da banda Paralamas do Sucesso, Herbert Vianna, lê a letra de uma das mais famosas músicas do grupo enquanto se dirige ao palco, chamada “Lanterna dos afogados”. No fim, ele repete o slogan da marca, que cria uma associação com a mensagem da canção. Vídeo aqui.

 

Artigos relacionados

3 respostas para “Solta o som! Como escolher uma música para o seu comercial?”

  1. Caroline Carvalho Bueno says:

    A trilha faz toda diferença!
    A que mais me marcou nos últimos tempos foi o comercial da VIVO 4G com “Time After Time” da Cyndi Lauper, simplesmente arrebatador!

  2. Anna Maranhão says:

    Esse comercial é marcante mesmo, Caroline!

  3. tambem to precizando de ajuda para consegur vender para a ambeve duas musicas de propaganda skol e brama
    tambem da chevrolet
    veja
    https://www.youtube.com/watch?v=Nj6lLHAJZ78

    Renato Mpbista – “meu chevrolet”
    http://www.youtube.com

    https://www.youtube.com/watch?v=krFoYo4NQYs

    A minha preferida.
    http://www.youtube.com
    É uma música especial para todos ouvirem e curtirem, principalmente a SKOL!

    https://www.youtube.com/watch?v=3MZHMA2q6vE&t=57s

    “Vídeo001
    http://www.youtube.com
    serveja skool
    https://www.youtube.com/watch?v=O0PALaGia04

    “Vídeo002
    http://www.youtube.com
    minha paixao cerveja brahma

    meu inderço ; rua germano busche 1176 etra o
    bairro michel neme , pederneiras sao paulo
    cep 17280000

    fones ; 14998296169 meu
    vizinho 1432522778 seu jose

Deixe uma resposta